terça-feira, 27 de agosto de 2013

Juvenis : AC Marinhense arranca empate justo ao ‘cair do pano’ em jogo fraco

Ac Marinhense 1
David Santos, Tiago Letra, José Ricardo (Cap.), João Couto, Gonçalo Veloso (Gonçalo Coelho, 63 min.), Pedro Coelho, Mário Vigia, Francisco M
ota (Marcos Santos, 40 min.), Bruno Godinho, João Carlos, António Luís (André Gil, 80+1 min.).
Não jogaram: Leandro Neto, Diogo Vicente, Ricardo Fernandes, Samuel Neto.
Treinador: Sérgio Querido.
Adjunto: Flávio Damásio
Delegado: Roberto Fernandes

  CF ‘Os Repesenses’ 1
Fernando, Chico Leão, Picaré, António, Didi, Kiko (Cap.), Ramalho (Chico, 76 min.), Gabi, Miguel (Ari, 52 min.), Rafael, João Silva (Rafael, 80 min.).
Não jogaram: Alex, Ricardo, Delfim.
Treinador: José Barbosa.

Estádio Municipal da Marinha Grande.
Espectadores: 200.
Árbitro: Hugo Pires (Leiria). Auxiliares: Pedro Figueiredo e Marco Silva.
Ao intervalo: 0-1.
Golos: 0-1, Gabriel (5 min.); 1-1, Marco Santos (76 min.).
Acção Disciplinar: Cartão amarelo a Didi (35 e 80+3 min.), Ramalho (75 min.).

Perante um Marinhense algo apático e intranquilo, foi o Repesenses quem entrou melhor no jogo e, logo num dos seus primeiros lances de ataque, chegou mesmo chegar à vantagem num cruzamento de João Silva que Gabriel, com toda a calma do mundo, aproveitou para fazer o 0-1.
Em vantagem no marcador, e impondo um futebol apoiado e consistente, a equipa do Repesenses foi continuando a dominar o jogo, e por muito pouco não ampliou a sua vantagem (25 min.), na sequência de um livre na esquerda, com Gabriel a obrigar David Santos a uma defesa muito apertada para canto.
Apesar de esforçado, as coisas tardavam em sair bem ao Marinhense que esbarrava sempre num bem organizado e compacto meio campo do Repesenses, que cortava invariavelmente as tentativas da equipa da Marinha Grande em sair para o ataque, pelo que o resultado ao intervalo era de inteira justiça.
Para a segunda parte, o AC Marinhense entrou mais forte e objectivo, beneficiando de um lance de muito perigo: bola lançada para a área do Repesenses, com um defesa a hesitar, com a bola a sobrar para Pedro Coelho que, em excelente posição, acabou por desperdiçar e rematar para fora.
O mesmo Pedro Coelho, aos 63 min., e na marcação de um canto directo bastante traiçoeiro, colocou Fernando à prova, mas este, atento, conseguiu defender. O Marinhense não desistia de chegar ao empate, e Marco Santos, aos 72 min., teve um excelente lance individual no interior da área do Repesenses, permitindo, no entanto, a Fernando uma excelente defesa para canto. Ficava o aviso.
Foram precisos apenas mais cinco minutos para Marco Santos chegar mesmo ao golo do empate: bola lançada em profundidade, com Marco Santos a ganhar em velocidade e, à saída de Fernando, em esforço, fazer o 1-1 final.
Resultado justo, já que depois de uma primeira parte em que o Repesenses dominou e foi sempre mais forte, na etapa complementar o AC Marinhense entrou melhor, jogando de uma forma mais objectiva e tendo conseguido chegar ao golo através de um lance individual de Marco Santos, que assim pôs justiça no marcador já bem perto do apito final.
Quanto à arbitragem de Hugo Pires e seus pares, estiveram simplesmente irrepreensíveis e sem uma única falha de maior que se lhes possa apontar.

Sem comentários:

Enviar um comentário