quinta-feira, 24 de Abril de 2014

UD Leiria encara próximos jogos como finais

Treinador Rui Rodrigues apela aos adeptos para voltarem a acompanhar a equipa em força.
.
A UD Leiria tem pela frente “quatro finais” até ao término do campeonato, a primeira das quais no próximo domingo na deslocação ao terreno do líder Oriental, equipa que, na primeira volta, veio a Leiria arrecadar os três pontos. Desta feita, os leirienses querem devolver a façanha na mesma moeda.
“Vai ser um jogo difícil, contra uma equipa moralizada pela última vitória e tem como objectivo deixar a UD Leiria mais longe na tabela. Cabe-nos contrariar isso e agora é a nossa vez de surpreendê-los. Queremos cimentar a vitória da semana passada que só fará sentido se voltarmos a conseguir um resultado positivo”, alertou o técnico Rui Rodrigues.
Apesar de considerar os próximos jogos como autênticas finais para a UD Leiria, o treinador leiriense salienta que para todas as outras equipas os jogos que faltam realizar também serão encarados como finais porque ainda “há muita coisa para se decidir”.

José Roque - Diário de Leiria

domingo, 13 de Abril de 2014

1ªJornada - Apuramento de Campeão 2013/2014 - Iniciados

Resultados:
UD Leiria 2 - FC Porto 1
Sporting 1 - SL Benfica 2
--
Classificação:
--
Próxima Jornada 18-4-2014:
FC Porto - Sporting
SL Benfica - UD Leiria

sexta-feira, 11 de Abril de 2014

SL Marinha promove treinos de captação de Iniciados

Confirmada a manutenção nos nacionais de Iniciados, e o SL Marinha começa já a preparar a próxima temporada. Assim, no próximo dia 15 de Abril, terça-feira, a partir das 19h30, o clube vai promover um treino de captação de atletas nascidos em 2000 e 2001, com vista á formação da equipa que vai na próxima temporada disputar o campeonato nacional de iniciados.

quarta-feira, 9 de Abril de 2014

JUNIORES U.LEIRIA x SPORTING C.P.


Seniores : UD Leiria teve Pimenta mas faltou-lhe o ‘sal’

UD Leiria 1
Vítor Braga, Juvenal, Luiz Carlos (cap.), Fabeta, Bruno Simão, Kata, Fábio Coça (Leandro, 84 min.), Pimenta, Serginho (Pepo, 63 min.), Hélio Vaz e Pedro Emanuel (Cédric, 73 min.). 
Não jogaram: João Guerra, André Sousa, Emiliano Tê, André Perre.
Treinador: Rui Rodrigues.
.
GS Loures 1
Tiago Jorge, Bernardo, Eduardo Simões (cap.), Ivo Dias, Beto, N'Dami (Fábio, 29 min.), Job, Godinho, Marco Neves (Ivo Miranda, 61 min.), Adilson, Tiago Pereira (Mourato, 81 min.). 
Não jogaram: Rúben Luís, Haoran Wu, Monteiro e Cacito.
Treinador: Carlos Alves.
.
Estádio Municipal de Leiria
Espectadores: 400. 
Árbitro: Augusto Costa (Aveiro). Auxiliares: Alcino Soeira e Ricardo Pinho.
.
Ao intervalo: 1-0.
Golos: 1-0 por Pimenta (29 min.); 1-1 por Fábio (74 min.).
Acção Disciplinar: Amarelo a Bruno Simão (3 min.), N'Dami (29 min.), Serginho (38 min.), Beto (55 min.), Job (71 min.).
.
A UD Leiria complicou as contas da subida ao ceder um empate (1-1) caseiro diante de um GS Loures que estreou no banco o técnico Carlos Alves. Há cinco jogos sem vencer, esperava-se uma UD Leiria autoritária, mas os primeiros minutos foram insípidos, jogados sobretudo no meio campo e sem que as equipas conseguissem criar reais oportunidades para marcar. Aliás, esta foi a grande tónica da partida que teve muito poucas situações de golo.
No primeiro lance de perigo protagonizado pela UD Leiria, os homens da casa adiantaram-se no marcador após uma excelente jogada individual de Hélio Vaz pela esquerda, com o avançado a cruzar para a área onde apareceu de rompante Pimenta a encostar para o fundo da baliza.
Se até aqui os leirienses não tinham justificado a vantagem no marcador, a partir do golo a turma de Rui Rodrigues pareceu ganhar mais confiança e esteve perto de fazer o 2-0 na sequência de um pontapé de canto em que o cabeceamento de Luiz Carlos foi tirado perto da linha de golo pela defesa visitante.
O resultado ao intervalo castigava um GS Loures completamente inoperante em termos ofensivos e que fazia da sua combatividade no meio-campo a sua mais-valia para fazer equilibrar a 'balança'. No segundo tempo, a toada do jogo manteve-se e pertenceu à UD Leiria a melhor oportunidade num livre frontal de Luiz Carlos que levou a bola a passar perto do poste da baliza de Tiago Jorge.
Com o passar dos minutos, os leirienses foram acusando alguma ansiedade e nervosismo, facto bem aproveitado pelo GS Loures para marcar na única oportunidade que dispôs durante toda a partida: Tiago Pereira aproveitou a oferta de Fabeta e cruzou atrasado para o remate vitorioso de Fábio.
Até ao apito final, os leirienses tentaram 'carregar', mas quase sempre sem grande discernimento, com excepção para um pontapé de canto cobrado por Pepo em que Luiz Carlos - sempre ele - cabeceou a rasar a barra da baliza do GS Loures.
Empate 'amargo' para os leirienses que foram a melhor equipa e a que dispôs das melhores oportunidades, mas mérito também para o GS Loures que nunca deixou de acreditar num resultado positivo num jogo que teve uma arbitragem positiva, mas com alguns erros menores que em nada influenciaram o resultado final.

Texto: José Roque (Diário de Leiria)
Foto: Luis Filipe Coito (Diário de Leiria) 

quarta-feira, 26 de Março de 2014

Rui Rodrigues promete uma UD Leiria “diferente” para domingo

Novo treinador da UD Leiria revela um discurso ambicioso e virado para a subida de divisão. Quer implementar novas ideias já no próximo jogo contra o Mafra.
.
O novo treinador da UD Leiria, Rui Rodrigues, quer passar uma esponja na onda recente de maus resultados do clube já que próximo domingo, diante do Mafra, prometendo um novo modelo de jogo e algumas mudanças no onze inicial. Depois de três derrotas consecutivas para o Campeonato Nacional de Seniores, a prioridade é “trabalhar os jogadores a nível psicológico” para um desafio em que os leirienses estão proibidos de perder mais pontos.
“Para o próximo jogo quero já implementar as minhas ideias contra uma equipa que tem os mesmos objectivos que nós. Aquilo que vamos fazer é procurar a sorte com muito trabalho e ideias novas”, sublinhou Rui Rodrigues, admitindo, ainda, que “o modelo de jogo deverá ser mudado já que a equipa tem jogadores com qualidade para ter mais posse de bola e, assim, estar mais próxima da vitória”.

Diário de Leiria

Iniciados : Tiago Costa vira herói no apuramento da UD Leiria


UD Leiria 1 
Rui, Dedé, Gonçalo Cruz, Diogo Vieira, Renato, Tomás Dinis, Marta (Emanuel, int.), Edu, Tiago Costa (Luís Pinto, 65 min.), Mantorras (Igor Sousa, 70+3 min.), Lucas. 
Não jogaram: Gonçalo Matos, Dani, Hugo Fonseca, Luisão. 
Treinador: José Horta.
.
CADE 0
Francisco, Filipe, Tiago, Bruno, Rafa (Dani, 53 min.), Diogo Varanda, David, Rodrigo, André Alvega (Rodrigo Rosa, int.), Francisco Jorge, Pedro Sebastião (Hernâni, 60 min.). 
Treinador: Luís Grácio. 
.
Campo da Mata, Santa Eufémia
Árbitro: Fábio Monteiro (Coimbra). 
Auxiliares: João Cardoso e Luís Jesus. 
Espectadores: 120. 
Ao intervalo: 1-0. 
.
Golos: Tiago Costa (14 min.).
Acção disciplinar: Cartão amarelo a Mantorras (50 min.), Dani (57 e 70 min.), Diogo Varanda (60 min.), Francisco Jorge (66 min.), Lucas (70+2 min.). Cartão vermelho directo a Filipe (47 min.) e por acumulação a Dani.
.
Pela segunda vez na sua história, uma equipa de Iniciados da UD Leiria atinge a terceira fase do campeonato nacional, desta vez fruto da vitória diante do CADE (1-0) quando ainda falta disputar uma jornada.
Depois da desilusão caseira diante da Anadia (1-2) os leirienses tiveram nova oportunidade de carimbar o passaporte para a fase final e não a desperdiçaram com uma exibição que esteve longe de ‘encher o olho’, mas que foi o suficiente para derrotar um CADE constituído por bons jogadores.
O jogo começou equilibrado, com ambas as equipas a jogarem com grande intensidade, mas as oportunidades de golo foram poucas até que surgiu o único tento da partida numa bola bombeada para a frente em que Tiago Costa ultrapassou o guarda-redes Francisco e empurrou para a baliza deserta do CADE.
A formação do Entroncamento tentou responder, mas encontrou pela frente uma defensiva leiriense muito concentrada e que não deu veleidades aos atacantes do CADE. Quem aproveitou o adiantamento dos visitantes foi a UD Leiria que, em dois contra-ataques, esteve muito perto de marcar e com os mesmos protagonistas: Lucas escapou-se à defesa contrária, mas Francisco conseguiu, em ambas os lances, realizar grandes defesas.

Segunda parte de nervos
No regresso dos balneários esperava-se uma entrada forte do CADE, mas o equilíbrio foi a nota dominante com o jogo a ser muito disputado a meio-campo. Quando a formação do CADE tentava dar um ar da sua graça, ficou reduzida a dez unidades por vermelho directo a Filipe quando Lucas se preparava para ficar isolado.
A partir daqui o jogo ‘endureceu’ e perdeu qualidade, com os leirienses a passarem a jogar de forma mais confortável e foi novamente Lucas quem deu nas vistas com uma boa jogada individual, mas o remate saiu pouco ao lado, ainda tocada por um atleta do CADE.
O CADE foi tentando o ‘chuveirinho’ já em desesperado, mas quase sempre sem consequências e o cenário ainda ficou pior quando Dani viu o segundo amarelo e também recebeu ordem de expulsão.
Já ao cair do pano, Edu atirou ao poste da baliza de Francisco na marcação de um livre directo e pouco depois o árbitro deu por concluído um jogo que em que leirienses foram mais esclarecidos perante uma equipa do CADE que lutou bastante, mas não mostrou argumentos suficientes para poder vencer.
Quanto ao trabalho do trio de arbitragem, foi mau de mais. Mal ao nível técnico e disciplinar, e ainda foi mal auxiliado.

Texto e foto: José Roque (Diário de Leiria)

Seniores : Goleada frente ao BC Branco faz soar o alarme em Leiria

Benfica C. Branco 5
Hidalgo, André Cunha, Amoreirinha, João Afonso, João Rui (Samarra, 77 min.), Tomás (Hugo Seco, 67 min.), Guilherme, Patas Moreno (Vasco Guerra, 87 min.), Marocas, Telmo e Dani Matos.
Treinador: Ricardo António. 
.
UD Leiria 0
Vitor Braga, Cédric, Emiliano Tê (Pimenta, 67 min.), Ricardo Cardoso, Fabeta, Serginho (Pedro Emanuel, int.), Kata (Coça, int.), Hélio Vaz, Zezinho, Luís Carlos e André Perre.
Treinador: Rui Nascimento. 
.
Estádio Municipal de Castelo Branco
Árbitro: Tiago Antunes (Coimbra). Auxiliares: Nuno Carreiro e António Machado. 
Ao intervalo: 2-0.
Golos: Marocas (21 e 56 min.) e João Rui (36, 53 g.p. e 61 min., g.p.)
Acção disciplinar: Amarelo a Luís Carlos (55 min.), Hélio Vaz (61 min.) e André Perre (75 min.).
.
A UD Leiria viveu ontem uma tarde de autêntico pesadelo em Castelo Branco ao perder com o Benfica local por 5-0, naquela que é a terceira derrota consecutiva da turma do Lis para o Campeonato Nacional de seniores.
Para tentar mudar o rumo negativo que a UD Leiria estava a tomar, o técnico Rui Nascimento fez algumas alterações na equipa, desde logo na baliza com a exclusão de João Guerra e a promoção do brasileiro Victor Braga que se estreou em jogos oficiais pelos leirienses. 
Além disso, destaque igualmente para a saída do reforço Bruno Simão (defesa-esquerdo) e do jovem Pepo, entrando para os seus lugares Ricardo Cardoso e Kata, respectivamente.
Com o objectivo que ter uma equipa mais compacta e lutadora no meio-campo, as contas acabaram por sair furadas à UD Leiria com um golo de Marocas aos 21 minutos, com um belo golpe de cabeça, fazendo entrar a bola no ângulo superior direito da baliza. Quinze minutos depois, João Rui começou o seu recital de golos ao fazer o 2-0, resultado com que as equipas foram para o balneário.
Os locais bastante motivados e apoiados pelo seu público, viriam a aumentar a vantagem ao minuto 36, com João Rui a apontar um livre de forma magistral fazendo entrar a bola na baliza defendida por Victor Braga. Reagiram os homens da cidade do Lis, mas foi sol de pouca dura, atingindo-se o intervalo com o Benfica e Castelo Branco a vencer por 2-0.
Se a primeira parte foi dominada pelos donos da casa, a etapa complementar veio reforçar ainda mais essa superioridade, com João Rui a sancionar uma grande penalidade, ao minuto 53. Decorridos apenas três minutos sobre este lance, Marocas, novamente a marcar, apontando o quarto tento para a sua equipa. Completamente atónita perante a excelente exibição dos encarnados, a equipa visitante tornava-se cada vez mais incapaz de travar os atacantes locais, que viriam a apontar o quinto golo, por João Rui, e mais uma vez através de uma grande penalidade.
Até final da partida, os albicastrenses poderiam ter apontado mais um ou dois golos, mas o Victor Braga conseguiu evitar tal desiderato. Vitória da melhor equipa em campo.

Texto: José Roque (Diário de Leiria)
Foto: Luis Filipe Coito

terça-feira, 25 de Março de 2014

Rui Rodrigues é o novo treinador da U.Leiria

Nova chitocada na União Desportiva de Leiria. Rui Nascimento já o treinador da Leiria. O técnico não conseguiu “sobreviver” aos últimos maus resultados, particularmente a goleada sofrida no passado domingo em Castelo Branco por 5-0, resultando ainda no terceiro desaire seguido leirienses nesta fase de subida Campeonato Nacional de Seniores, levando assim a direcção a prescindir dos serviços do treinador natural da Vieira de Leiria, tendo escolhido para seu sucessor Rui Rodrigues.
Em declaração ao jornal Diário de Leiria, o presidente da direção comentou a saída de Rui Nascimento. “Cortámos a ligação com o Rui Nascimento pelos motivos óbvios: maus resultados e más exibições. Além disso há uma descaracterização muito grande na equipa já que ela joga sem alma, sem raça, sem ligação, sem nada”, revelou.A União de Leiria escolheu o experiente Rui Rodrigues para assumir o comando técnico, com o objetivo de subida ainda bem em mente. O novo técnico tem 44 anos, é natural da Marinha Grande e nas últimas temporadas foi adjunto de Ulisses Morais no Paços de Ferreira, Académica de Coimbra.
Rui Rodrigues também já tem um passado como treinador principal no Atlético Clube Marinhense em 2003/2004, no Caldas Sport Club em 2005/06 e 2006/07 e também assim ainda pelo Real Massamá em 2007/2008 e 2008/2009 antes de integressar a equipa técnica de Ulisses Morais.
O novo técnico da formação do Lis assume já funções a partir desta terça-feira, orientando ao final da tarde o primeiro treino, preparando a receção ao Mafra do próximo domingo.
José Roque - Diário de Leiria

segunda-feira, 24 de Março de 2014

Rui Nascimento sai do comando técnico da UD Leiria


Rui Nascimento já não é o treinador do UD Leiria, na sequência da goleada sofrida em Castelo Branco (0-5).  Rui Rodrigues, outrora adjunto de Ulisses Morais no Paços Ferreira, Académica e Beira-Mar, é o mais forte candidato ao lugar.

A Bola

domingo, 23 de Março de 2014

Castelo Branco testa candidatura da União de Leiria

A U. Leiria joga muito do seu futuro no CN Seniores com a saída de hoje a Castelo Branco. Após uma inédita série de duas derrotas consecutivas na época, a equipa de Rui Nascimento está obrigada a vencer para continuar a acalentar esperanças na subida à 2.ª Liga e o técnico admite que o fator psicológico foi um dos aspetos fundamentais a trabalhar com o grupo de trabalho durante a semana.
“O campeonato está muito equilibrado e não tenho dúvidas que será disputado até ao fim. A equipa vinha de uma boa sequência de resultados, mas ficou algo abalada com a derrota injusta frente ao Oriental. Na Sertã não estivemos ao nível desejado, mas acreditamos numa boa resposta no próximo jogo”, garante o treinador, que está pouco preocupado com a qualidade de jogo num período decisivo da temporada.
“Nesta fase, o importante é ganhar jogos, não é o jogar bem. Sabemos que vamos defrontar um ataque muito concretizador, estamos preparados para esse ponto forte do adversário, mas não vamos limitar-nos a defender”, assegura Rui Nascimento, salientando que os leirienses têm “qualidade no último terço do terreno e apenas falta afinar a pontaria” para a equipa voltar a marcar com regularidade.

Alterações
As duas derrotas seguidas comprometeram parte das aspirações da União e deverão obrigar o treinador a operar algumas mudanças no onze. Rui Nascimento não diz, contudo, que peças irá introduzir na equipa inicial.
“Há jogadores em sobrecarga de esforço e é muito natural que se façam algumas alterações na equipa, embora mantendo a estrutura”, frisa o técnico, que continua a acalentar o sonho de guiar o clube aos campeonatos profissionais: “Assumimos a subida como um objetivo e nada está perdido. Há equipas e jogadores de qualidade neste campeonato e a luta vai ser grande, mas acreditamos que estamos preparados para vencer.”

Gigante em risco
A U. Leiria reforçou-se em janeiro com vista a atacar a última metade da temporada, mas há um reforço que pode, afinal, ser descartado. O avançado Mike Otojareri (ex-Sheikh Jamal) não tem impressionado nas primeiras semanas de trabalho em Leiria e a equipa técnica está, inclusive, a avaliar a sua continuidade no clube. Esta semana deverá ser tomada uma decisão sobre o futuro do avançado nigeriano, cujas características pouco acrescentam à equipa.

Joaquim Paulo - Record

quinta-feira, 20 de Março de 2014

Iniciados: Carga emocional ‘tramou’ UD Leiria

Campo da Mata, Santa Eufémia
Árbitro: Paulo Raposo (Santarém). 
Auxiliares: Rui Inácio e Filipe Correia.
Espectadores: 100. 
.
UD Leiria 1
Rui Santos, Luisão (Dedé, int.), Cruz, Vieira, Renato, Tomás Dinis, Edu, Rodrigo Marta (Bernardo, int.) (Pinto, 55 min.), Mantorras (Dani, 65 min.), Tiago Costa e Lucas Reis. Não jogaram: Gonçalo, Fonseca, Igor Sousa.
Treinador: José Horta.
.
Anadia 2
Zé Tomé, Dias, Ruben, Simão, Tomás Rasteiro (Garcia, int.), Claudio, David (Zé Miguel, 65 min.), Manuel, Nuno, Marques, Pires. Não jogaram: João Rocha, Pedro Calvo, Prata, Rui e Xana.
Treinador: Pedro Alegre.
.
Ao intervalo: 0-1. Golos: 0-1 por Manuel (5 min., g.p.), 0-2 por Ruben (63 min.);1-2 por Tomás Dinis (68 min.).
Acção Disciplinar: Amarelo a Cruz (5 min.), Simão (42 min.), Pires (50 min.), Garcia (67 min.).
.
Quando a vontade é demais, a cabeça pensa de menos. Foi isto o que aconteceu à UD Leiria. A três jornadas do final desta fase do campeonato nacional, os leirienses precisavam apenas de um empate para carimbar a passagem à terceira fase e queriam-no fazer já este domingo diante do segundo classificado, a Anadia. Contudo, o 'tiro saiu pela culatra' já que os atletas unionistas apareceram em campo demasiado ansiosos e muito longe da qualidade futebolística que já patentearam esta época.
Com muita vontade de fazer as coisas depressa e bem, a UD Leiria entrou de forma assertiva, mas foi surpreendida por um mau atraso de Tomás Dinis que 'obrigou' Cruz a cometer grande penalidade. Na conversão, Manuel colocou a Anadia em vantagem aos cinco minutos.
A partir daqui os visitantes jogaram como queriam: todos os jogadores atrás do meio-campo e impedir que os leirienses conseguissem construir jogo. E essa estratégia resultou em pleno já que a formação de José Horta nunca conseguiu chegar com perigo junto da baliza de Zé Tomé.
O único sinal de alerta foi dado por Lucas que trabalhou bem na área, mas o remate saiu muito ao lado.
No segundo tempo os adeptos queriam uma UD Leiria mais serena e acutilante, mas os passes errados e a intranquilidade bem patente em certos jogadores, impediu que os leirienses conseguissem fazer muito mais do pouco que já tinham feito no primeiro tempo.
E foi contra a corrente do jogo que a Anadia alargou a vantagem (0-2) num livre marcado ainda no seu meio-campo em que Rúben, vendo o adiantamento de Rui, fez um chapéu perfeito e de grande classe a 50 metros da baliza, perante um guarda-redes unionista que ficou mal na fotografia.
Cinco minutos depois, a UD Leiria deu um ar da sua graça na sequência de um pontapé de canto em que Tomás Dinis apareceu ao segundo poste para fazer o 1-2. Com pouco tempo para jogar, os leirienses tentaram o futebol directo, mas já pouco havia a fazer perante uma Anadia que em termos defensivos construiu uma muralha impenetrável e teve mérito na conquista dos três pontos por isso mesmo.
Resta agora à UD Leiria vencer um dos últimos dois jogos do campeonato diante do CADE (casa) ou Oliveirense (fora) para cumprir o objectivo de chegar à fase de apuramento de campeão nacional.

Texto e foto: José Roque (Diário de Leiria)

Juvenis: Grande jogo de futebol com resultado injusto

Campo da Mata, Santa Eufémia
Árbitro: Luis Cruz (Castelo Branco). 
Auxiliares: Jorge Andrade e Sérgio Paiva.
Espectadores: 120. 
.
UD Leiria 3
André, Pê, Gabi, Pedro Neto (Agosti-nho, int.), Miguel, Ricardo Soares, Bru-no Jordão, Bernardo, Gaio, Litos (Mi- guel, 55 min.) e Sousa (Lourenço, 78 min.). Não jogaram: Raul, António, Luis e Renato.
Treinador: Jorge Raimundo.
.
AD Oeiras 4
Frederico Moura, João Tiago, Kiko Silva (Alex Figueiredo, 68 min.), Diogo Branco, Bruno Gomes, Bernardo (Marcolino Ninte, 53 min.), Tiago Andrade, Rafa Pinto (Bruno Santos 68 min.), Gil Santos, Miguel Morais e João Fernandes. Não jogaram: Ricardo Janela, Gerson Moura, David Joshua e Califa. 
Treinador: Pedro Silva.
.
Ao Intervalo: 1-1.
Golos: 1-0, Gaio (25 min.); 1-1, Gil Santos (39 min.); 2-1, Gabi (44 min); 2-2, João Tiago (50 min.); 3-2, Bernardo (68 min.); 3-3, Bruno Santos (76 min.); 3-4, Gil Santos (80+3 min.).
Acção disciplinar: Amarelo a Bruno Jordão (49 min.); Sousa (51 min.); Kiko Silva (62 min.); Ricardo Soares (63 min.); Gabi (71 min.); João Fernandes (80 min). Vermelho directo a André (54 min.).
.
Na manhã de sábado assistiu-se a um grande espectáculo de futebol, jogo aberto, com muitos golos, bolas nos postes, expulsões e emoção até ao último apito. Começaram melhores os pupilos de Jorge Raimundo que entraram pressionantes, tomando conta do jogo e foi com naturalidade que, num livre lateral, Gaio abriu o activo, saltando mais alto que todos.
No minuto seguinte Jordão podia ter ampliado mas cabeceou por cima. Depois foi Gabi a mandar à barra também de cabeça. Quando nada fazia prever, o Oeiras empatou num lance em tudo idêntico ao tento unionista com Gil a cabecear com êxito.
Ainda não refeito do golo sofrido, novo susto com Kiko, num contra-ataque, a rematar à barra da baliza de André, acabando o Oeiras 'por cima' na primeira etapa.
A equipa da casa voltou a entrar forte no recomeço e foi novamente num lance de bola parada (canto) que Gabi, de cabeça, deu nova vantagem à UD Leiria. Na resposta, mais do mesmo: livre lateral e João Tiago, com outro golo de cabeça, restabeleceu a igualdade. Pouco depois, a UD Leiria ficou reduzida a 10 elementos quando André derrubou o avançado que este se tinha isolado.
E foi com menos um jogador que a UD Leiria teve o seu melhor período, com mais oportunidades de golo em bola corrida. Primeiro foi Sousa, após jogada individual, a rematar com muito perigo por cima. Depois, na sequência de uma falha defensiva, Jordão rematou cruzado ao lado e ainda Agostinho que depois de uma bela arrancada atirou ao poste. Mas foi em novo lance de bola parada que Bernardo fez com justiça o 3-2.
Agostinho poderia ter acabado com o jogo já dentro da área tinha tudo para fazer golo mas atirou por cima. E como diz o ditado "quem não mata morre", os visitantes voltam a empatar contra a corrente do jogo, com o recém-entrado Bruno Santos a finalizar com Miguel a sair em falso após novo livre lateral.
Quando todos já esperavam o apito final, Gil Santos viu a má colocação do guarda-redes leiriense e rematou a meio do meio-campo num golo com largas culpas para Miguel.Face às oportunidades criadas, o empate seria o resultado mais justo, perante uma arbitragem com alguns erros, mas globalmente positiva. 

Texto e foto: Fábio Osório (Diário de Leiria)

Juniores : UD Leiria foi feliz na conquista da primeira vitória no campeonato

Campo da Mata, Santa Eufémia
Árbitro: André Gralha (Santarém). Auxiliares: Pedro Sousa e Manuel Mendes.
Espectadores: 100. 
.
UDLeiria 1
João Pedro; Zé Rodrigues, Benny (c), Sandro, André, Fred (Rui Rodrigues, 80 min.), David Gonzalez, Zacaria (Ruben, 55 min.), Tito, Afonso, Carlos Oliveira (Madruga, 80 min.). Não jogaram: Duarte, Denis, Marcelo, Luiz.
Treinador: Tiago Vicente.
.
Vit. Guimarães 0
Miguel Palha, Joel, Rogério, Tiago Marques, Pedro Campos, Júnior (c), Cláudio Ribeiro, Tiago Castro (Pechelim, 89 min.), Vigário, Helinho (Pedro Alves, 68 min.), André Martins (Cláudio Mateus, int.). Não jogaram: Miguel, Dani, Henrique, João Novais.
Treinador: Luís Castro.
.
Ao intervalo: 1-0. 
Golos: David Gonzalez (13 min.).
Acção disciplinar: Amarelo a Zé Rodrigues (14), André Martins (16), Carlos Oliveira (34), Júnior (36), Fred (42), Helinho (61), Tito (63), David Gonzalez (73), Sandro (77), Ruben (78), Pedro Alves (83), Tiago Marques (90+2).
.
A UD Leiria alcançou a primeira vitória da fase final na recepção ao Vit. Guimarães com um triunfo suado por 1-0, com David Gonzalez a ser a figura do jogo ao marcar o único golo de uma partida que colocou frente-a-frente os dois últimos classificados da tabela.
Num jogo aberto, repartido e com oportunidades para ambos os conjuntos, foi a UD Leiria a entrar melhor num lance que começou com Zé Rodrigues a atirar uma bola à barra e, na recarga, o espanhol David Gonzalez atirou cruzado para o 1-0. 
Em desvantagem, os vimaranenses foram à procura da igualdade com João Vigário a dispôr de uma excelente oportunidade, mas o ainda juvenil João Pedro realizou uma grande intervenção, negando o golo.
Assim terminou uma primeira parte entretida, mas com poucas oportunidades de golo, em que os leirienses agarraram-se à sua eficácia para estar em vantagem.
Vit. Guimarães desperdiça grande penalidade 
no segundo tempo
No segundo tempo, a toada do jogo manteve-se com ambas as equipas a jogarem de forma agressiva, o que levou o árbitro André Gralha a puxar várias vezes do cartão amarelo. A primeira equipa a criar perigo foi o Vit. Guimarães e logo em duas ocasiões com João Vigário a mostrar-se perdulário, muito por culpa também de um guarda-redes leiriense bastante inspirado.
Do outro lado, foi o avançado Carlos Oliveira o jogador mais inconformado, sendo sempre uma ameaça à baliza de Miguel Palha e protagonizou uma excelente jogada individual, mas após ultrapassar vários adversários, rematou ao lado.
Num jogo de parada e resposta, coube ao Vitória nova situação soberana na sequência de um cruzamento de Joel, em que João Vigário falhou a emenda de forma incrível para desespero dos seus colegas. E se o desespero já era grande nas hostes vimaranenses, pior ficou quando Júnior falhou a conversão de uma grande penalidade a castigar falta de Rúben dentro da área. O capitão do Vit. Guimarães atirou forte, mas muito por cima.
Com a vitória no 'bolso', a UD Leiria esteve perto de voltar a marcar já perto do apito final num contra-ataque rápido em que Rui Rodrigues desperdiçou.
Triunfo da UD Leiria que acaba por se aceitar apesar de algumas das melhores oportunidades de golo terem pertencido ao Vit. Guimarães. 
Desta vez, os jogadores leirienses foram felizes e eficazes e isso valeu três pontos para a turma de Tiago Vicente num jogo com trabalho positivo do árbitro André Gralha.

Texto : José Roque (Diário de Leiria)

quarta-feira, 12 de Março de 2014

JUNIORES - U.LEIRIA x VIT.GUIMARÃES


Iniciados : UD Leiria vence ‘velhos rivais’ e está a um ponto da fase final

Academia Dolce Vita, em Coimbra
Árbitro: Nuno Vaz (Viseu). 
Auxiliares: Luís Coimbra e António Oliveira.
Espectadores: 120. 
.
Académica 1
Miguel Mendes; Nelson Pereira (David Carvalho, int.), João Vilela, Rui Rua, Ruben Santos, Henrique Lourenço (Mané, 55 min.), Coutinho, Bruno Silva, Leandro, Rodrigo e Leonel Felícia (Rafa, int.) (Tiago 48 min.). 
Não jogaram: Luís, André Teixeira e Nuno Cruz.
Treinador: Marinho.
.
UD Leiria 3
Rui Santos; Luisão, Gonçalo Cruz, Diogo Vieira, Renato, Edu, Mantorras, Marta (Igor Sousa, 69 min.), Tiago Costa, Tomás Dinis e Lucas Reis (Luís Pinto, 64 min.). 
Não jogaram: Gonçalo Matos, Dani, Hugo Fonseca e André Jorge.
Treinador: José Horta.
.
Ao intervalo: 0-1. 
Golos: 0-1 por Edu (27 min.); 0-2 por Tiago Costa (53 min.); 1-2 por Leandro (59 min.); 1-3 por Edu (63 min.).
.
A equipa de iniciados da Académica perdeu (1-3) com a UD Leiria num jogo que era decisivo para a formação de Coimbra e que deixa os leirienses a precisar apenas de conquistarem um ponto nas últimas três jornadas para garantirem a passagem à terceira fase. 
Necessitada de pontos para poder continuar a sonhar com a passagem à fase final, a turma de Marinho entrou bem na partida, a dominar o jogo a meio-campo.
Nos primeiros 15 minutos conquistou dois cantos e não deixou que a UD Leiria tomasse qualquer iniciativa ofensiva. Apesar do controlo, ambos os guarda-redes pouco mais foram do que meros espectadores. 
Contra a corrente, surgiu, aos 27 minutos, o 'golaço' da manhã. Após um corte de Miguel Mendes já fora da sua grande área, o capitão dos visitantes, Edu, aproveitou o ressalto junto da linha do meio-campo para fazer um 'chapéu' perfeito ao guardião academista. Um golo de levantar qualquer estádio, mas que injustiçava os esforços dos estudantes em toda a primeira parte. 
A Académica tentou reagir, mas sem sucesso, verificando-se a vantagem da UD Leiria ao intervalo.

UD Leiria mais forte

O início do segundo tempo trouxe uma Briosa com o mesmo registo. Dominante, mas que teimava em não criar situações de perigo junto das redes adversárias. Só aos 42 minutos Coutinho tentou o remate já dentro de área ao qual se opôs Rui Santos numa defesa a dois tempos.
A ineficácia dos homens da Académica foi, uma vez mais, castigada aos 53 minutos. Numa jogada bem trabalhada pelo meio-campo leiriense, Tiago Costa recebeu a bola nas costas dos centrais academistas e à saída do guarda-redes só teve de colocar a bola no fundo da baliza. 
Volvidos apenas seis minutos deu-se a reacção academista. Leandro, matreiro, aproveitou um desentendimento na defensiva da UD Leiria para conquistar a bola e reduzir o marcador para a margem mínima. Faltavam ainda jogar 10 minutos e a Académica voltava a acreditar. O mesmo Leandro, poucos instantes depois, rematou sobre a barra de Rui Santos. A Briosa estava por cima, mas não conseguia chegar ao empate.
Aos 63 minutos, o 'balde de água fria' para os homens da casa: Edu ultrapassou a defensiva de Coimbra e facturou o segundo da conta pessoal. Um remate fortíssimo e bem colocado ao canto superior direito que deixou Miguel Mendes sem qualquer hipótese de defesa.
A turma de Marinho bem lutou, mas pagou caro a ineficácia ofensiva. Com a derrota caiu assim por terra a possibilidade de apuramento, enquanto para os leirienses só falta mesmo carimbar nas próximas jornadas o passaporte para poder discutir o título de campeão nacional.

Texto: José Miguel Simões (Diário de Leiria)
Foto: Figueiredo (Diário de Coimbra)

sábado, 8 de Março de 2014

Juniores : UD Leiria perde em Matosinhos

5ªJornada - Fase Final Campeonato Nacional - Juniores
SL Benfica 4 - AD Oeiras 1
Leixões 1 - UD Leiria 0
FC Porto 0 - Sporting CP 0
V.Guimarães 1 - SC Braga 2
--
Classificação:
--
Próxima Jornada 15-3-2014:
Sporting CP - SL Benfica
UD Leiria - V.Guimarães
FC Porto - SC Braga
AD Oeiras - Leixões

quarta-feira, 5 de Março de 2014

U. Leiria: a morte da SAD que deu vida ao clube

Aquela imagem dos oito jogadores da U. Leiria a posar para a foto antes de se dar início ao jogo com o Feirense será difícil de tirar da cabeça de quem se interessa por futebol durante muitos anos. Dificilmente seria possível encontrar melhor expressão icónica de que a SAD do Lis tinha batido no fundo naquele mês de Abril de 2012. 
Por essa altura, já Mário Cruz, que fora também administrador ao lado de João Bartolomeu, mas sairia uns tempos antes, acautelava, pelo menos, o futuro do clube. Como presidente, não iria deixar que o futebol acabasse na cidade. Lançou as primeiras sementes do renascimento inscrevendo uma equipa no distrital, depois de uma assembleia em que os sócios lhe deram o aval. 
A SAD, depois de se ver despromovida à II Liga, também não conseguiu inscrever-se nesse escalão, e desceu mais um degrau, até ao extinto Campeonato Nacional da II Divisão. Ainda competiu, de forma sofrível, na última época, enquanto a formação do clube festejava a subida de divisão logo no primeiro ano de vida. 
Uns continuavam de costas voltadas para a comunidade leiriense, mantendo-se a jogar em casa emprestada (Santa Catarina da Serra), tal como acontecera na temporada anterior na Marinha Grande, enquanto os outros jogavam no melhor palco da região, o Estádio Dr. Magalhães Pessoa. O mesmo que acolhe esta quarta-feira o Portugal-Camarões. 
Reconquistado o coração dos adeptos, outra frente se abria no horizonte. Perante as dificuldades da SAD, atolada em dívidas, o tribunal decretou a sua extinção em Julho de 2013. Era tempo de enterrar a história, feita de vários pontos altos, como a final da Taça de Portugal de 2003, perdida para o FC Porto, com um golo de Derlei, que passara pela União, tal como Helton. Para trás ficaram também algumas participações em provas europeias e, claro, a passagem de Mourinho. 

Batalha pelos direitos desportivos valeu duas subidas 

Ficava em aberto uma vaga no Campeonato Nacional de Seniores (CNS) e Mário Cruz lutou por conseguir os direitos desportivos da SAD. «Foi determinante, no sentido em que o nosso objetivo sempre foi recolocar a U. Leiria onde estava, e isto permitiu-nos encurtar distâncias. De outra forma, estaríamos agora na Divisão de Honra, e também beneficiámos da extinção da III Divisão Nacional», conta o agora vice-presidente do clube do Lis. 
Em vez disso, os leirienses estão apenas a um pequeno passo do ingressar na II Liga, o primeiro escalão profissional, disputando a fase de subida palmo a palmo. Um absoluto contraste com os primeiros tempos, quando o clube, de um momento para o outro, voltou a ter futebol sénior… para não o deixar morrer. 
«Quando nos vimos com o menino nos braços, não tínhamos nada. Nem equipamentos, bolas, nada. Foi preciso começar do zero, renascer das cinzas. Não estávamos preparados, quer ao nível de estruturas, quer ao nível de matéria-prima», recorda o dirigente. 
«Mas com boa vontade e esforço de todos, lá fomos traçando o nosso caminho. O nosso objetivo era devolver o clube à cidade e aos sócios, e vimos, de facto, que havia uma grande recetividade e quem prometeu ajudar não faltou à promessa. As coisas têm corrido melhor que o previsto, foi como um milagre», enaltece. 

A alegria de volta nas coisas simples 

No escalão mais baixo do distrital, a I Divisão, a equipa liderada por Luís Bilro, antigo jogador e capitão da casa, conseguiu galvanizar os adeptos e rendibilizar o apoio ao máximo, numa onda que culminou no primeiro lugar do campeonato, sem derrotas. 
«Tínhamos por vezes mais pessoas a assistir do que quando a equipa estava na I Liga e íamos a Alvalade ou ao Porto. Passamos a utilizar o estádio municipal porque entendemos que era a nossa casa e uma forma de congregar mais gente à nossa volta», conta Mário Cruz. 
A aposta na chamada prata da casa tem sido determinante. Além dos jogadores, os técnicos são igualmente dos que sentem o verdadeiro amor à camisola. Depois de Bilro, seguiu-se Rui Nascimento, outro filho da terra, e antigo atleta do clube, agora a solo depois de uma carreira como adjunto de Manuel Cajuda. 
A câmara, com quem João Bartolomeu não se entendia, também foi dando uma ajuda «dentro do possível», sublinha o vice-presidente, porque os tempos são difíceis para todos. Com o salto de dois escalões, tudo ficou mais sério, mas quem dirige o clube tem o plano delineado há muito tempo. 
O objetivo, regressar ao futebol profissional, se for atingido, vai requerer outros desafios. Desde logo, a constituição de uma nova sociedade anónima desportiva ou então uma sociedade desportiva unipessoal por cotas. 
«Quando a questão se colocar, vamos dar cumprimento à lei, como é óbvio. Iremos ouvir os sócios e tomar a melhor decisão. Queremos algo que salvaguarde a matriz popular, não queremos repetir o passado recente», promete. 
Em paralelo com o sucesso dos seniores, também as camadas jovens têm dado um bom exemplo de vivacidade. «Temos algo inédito, que é ter iniciados, juvenis e juniores na fase de apuramento de campeão, em luta com as maiores equipas do país em cada escalão», enaltece, sublinhando as mais de 400 pessoas que utilizam a academia do clube. 

Os pecados da SAD, virtudes do clube 

A saída de cena de João Bartolomeu foi um verdadeiro teste à capacidade de resistência do futebol em Leiria. Seria possível voltar a erguer os pilares de outrora? «Havia, de facto, esse receio, mas, neste momento, penso que está provado que a cidade pode voltar a ter uma equipa na I Liga», arrisca Mário Cruz. 
O passado ficou marcado por vários erros, que agora urge não repetir. «Ele era a SAD. Era dono e senhor, punha e dispunha como queria, e foi cavando um fosso entre si e a sociedade. A SAD nada dizia às pessoas, e vice-versa», sustenta. 
Ao invés, a nova fornada de dirigentes defende que o clube deve ser dos sócios e de todos os leirienses em geral. «Queremos fazer as coisas de uma forma mais transparente e sustentável», reforça, ao mesmo tempo que fala de um momento de estabilidade e condições para desenvolver um projeto a partir de boas bases: 
«O clube está estável e tem uma estrutura sólida. Houve eleições recentemente e temos um presidente que é uma pessoa séria e empenhada, capaz de dar sequência ao que já foi feito. Estou plenamente convicto de que, com este elenco, e o apoio das forças vivas da região, teremos pernas para andar.» 
Ano e meio depois do afastamento do truculento João Bartolomeu, a vida segue tranquila em Leiria. O clube voltou a sonhar, a ter ambições, e pensa o futuro com ideias claras e estruturadas. O lema é «Um Novo Fôlego, a Paixão de Sempre». Eles acreditam. 

Francisco Frederico - Mais Futebol

Vieirense Luís Castro orienta FC Porto

O FC Porto anunciou esta quarta-feira a “cessação de funções” do treinador da equipa principal, Paulo Fonseca, e entregou “a pasta” a Luís Castro.
O treinador, natural de Vieira de Leiria, concelho da Marinha Grande, assume o comando técnico “interinamente”.
 Recorde-se que Luís Castro é o atual treinador do FC Porto B.  Enquanto jogador foi defesa do ID Vieirense e da União de Leiria e terminou a carreira de jogador no Águeda, onde começou a treinar. Hoje, aos 52 anos, é também coordenador da formação do FC Porto.


Marina Guerra - Região de Leiria

U.LEIRIA x ORIENTAL


terça-feira, 4 de Março de 2014

3ªJornada - Fase Subida Campeonato Nacional Seniores / Zona Sul

Resultados:
Pinhalnovense 1 - UD Leiria 2(Luiz Carlos e a.g)
Ferreiras 0 - CD Mafra 2
Oriental 2 - Sertanense 1
Benfica Castelo Branco 0 - Loures 1
--
Classificação:
--
Próxima Jornada 9-3-2014:
UD Leiria - Oriental
Mafra - Pinhalnovense
Sertanense - Benfica Castelo Branco
Loures - Ferreiras

Juniores : UD Leria perde pela margem minima frente ao líder da competição SL Benfica

4ªJornada - Apuramento do Campeão - Juniores 
---
Resultados :
UD Leiria 1 (Benny) - SL Benfica 2
AD Oeiras 0 - Sporting 0
SC Braga 3 - Leixões 0
V.Guimarães 1 - FC Porto 2
--
Classificação:
--
Próxima Jornada 8-3-2014:
V.Guimarães - SC Braga
Leixões - UD Leiria
SL Benfica - AD Oeiras
FC Porto - Sporting


quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2014

Iniciados : SL Marinha vence dérbi distrital contra o Caldas SC

Campo Nr. 2 do Complexo Municipal da Marinha Grande
Árbitro: Mónica Salvador (Setúbal). 
Auxiliares: João Paixão e Francisco Mendes.
Espectadores: 120. 
.
SL Marinha 2
Marco, Gameiro (Tiago Araújo, 35 min.), Dilan (cap.), Leandro, Luís Carlos, Rafael Vitorino, André Vitorino (Oliveira, 35 min.), Márcio, Fábio Júnior (Cláudio, 55 min.), Miguel Madruga (Mousinho, 60 min.), Rafa Santos. Não jogaram: Rúben, João Miguel.
Treinador: Leonel Leal.
.
Caldas SC 1
Henrique, Gustavo, Rafael Roque, Tomás Seixas (cap.) (João Pedro, 35 min.), Gonçalo, Pedro Luís, Miguel (Rúben, 53 min.), Ricardo, Rafael Santana (Guilherme, 35 min.), Hugo (Olavo Lopes, 68 min.), Francisco. Não jogaram: Tomás, Nuno, Diogo. 
Treinador: Luís Lopes.
.
Ao Intervalo: 1-0.
Golos: 1-0 por Fábio Júnior (34 min.), 2-0 por Luís Carlos (67 min.), 2-1 por Rúben (70 min.).
Acção Disciplinar: Amarelo a Francisco (32 min.), João Pedro (45 min.), Dilan (53 min.), Ricardo (66 min.), Rafa Santos (70 min.), Tiago Araújo (70 min.).
.
Num jogo entre dois velhos conhecidos, o SL Marinha recebeu o Caldas SC e venceu por 2-1, dando assim mais um passo importante para assegurar a manutenção no campeonato nacional.
O jogo começou com as equipas a procurarem não arriscar muito, mas à medida que o tempo foi passando, o SL Marinha foi começando a ganhar supremacia no meio-campo e a procurar empurrar o Caldas para o seu meio-campo. Ainda assim, a bola teimava em não chegar com perigo a qualquer uma das balizas e só aos 30 minutos apareceu o primeiro lance de perigo para o Caldas com Gonçalo Chaves a não conseguir fazer a emenda vitoriosa. 
Depois do susto, o SL Marinha chegou ao golo após cruzamento de Márcio em que o estreante Fábio Júnior finalizou com êxito. A segunda parte começou na mesma toada, com a equipa da Ordem sempre mais perigosa , beneficiando de uma grande penalidade, mas Oliveira permitiu a defesa a Henrique Santos. 
O Caldas respondeu através do possante Gonçalo Chaves, com Marco a travar o remate do avançado visitante. Até que aos 67 minutos, num lance aparentemente inofensivo, Luís Carlos bombeou a bola para a área do Caldas e num movimento infeliz, Henrique Santos, que até então estava a ser um dos melhores do Caldas, acabou por introduzir a bola na sua baliza. 
E quando se pensava que pouco mais havia a decidir no jogo, o Caldas beneficiou de uma grande penalidade, bem assinalada, e na conversão Rúben fez o 2-1. Pouco mais havia a jogar, mas Rafa Santos ainda enviou uma bola ao poste da baliza do Caldas.
Vitória justa do SL Marinha, já que foi sempre a equipa mais forte em campo e a que criou mais oportunidades de golo, tendo mesmo desperdiçado uma grande penalidade. Quanto ao Caldas SC, deu boa réplica e nunca desistiu de chegar a um resultado positivo.
Quanto à arbitragem do trio comandado por Mónica Salvador, nota bastante positiva.

segunda-feira, 24 de Fevereiro de 2014

Final da Taça da Liga marcada para Leiria

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional escolheu o Estádio Municipal de Leiria para palco da final da edição 2013/14 da Taça da Liga.
A seleção do recinto leiriense para a partida marcada para 26 de abril sobrepôs-se às possibilidades Coimbra e Braga, cujos municípios, segundo fonte oficial da Liga citada pela Agência Lusa, se teriam disponibilizado para o efeito.
Depois de as finais das três primeiras edições, entre 2007/08 e 2009/10, terem sido disputadas no Estádio Algarve, em Faro/Loulé, e as mais recentes, entre 2010/11 e 2012/13, no Estádio Cidade de Coimbra, a LPFP promoveu um concurso para a escolha do "palco" para o jogo decisivo da presente temporada.
Com o Rio Ave já qualificado para a final, importa saber se o Sporting fará o que anunciou na sexta-feira: recorrer da decisão do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que manteve o FC Porto como adversário do Benfica na meia-final da prova que falta disputar, inicialmente agendada para 13 de fevereiro.
Se a intenção se materializar, é muito provável que as datas possíveis para a realização da meia-final e mesmo a da final possam ser alteradas, tendo em conta os trâmites e prazos do processo que possa vir a iniciar-se.

terça-feira, 18 de Fevereiro de 2014

Cobertura do Estádio de Leiria será reparada antes de receber jogo da Seleção

A Câmara de Leiria anunciou, esta terça-feira, que a cobertura do Estádio Municipal será reparada antes de receber o jogo entre Portugal e Camarões, agendado para 5 de março.
A deslocação de uma placa no topo sul obriga à reparação, que estava já prevista há algum tempo. «Não existe qualquer tipo de perigo em termos de funcionamento do estádio e a cobertura estará 100 por cento operacional no dia do jogo», assegurou Gonçalo Lopes, vice-presidente da Câmara.
A situação remonta já a janeiro do ano passado, devido a um temporal. Foi acionado o seguro e realizada a respetiva peritagem, mas só agora foi possível executar a reparação. 
«Foi muito difícil arranjar uma empresa para realizar este trabalho, que é específico e perigoso, e só há pouco tempo é que se conseguiu arranjar um orçamento de uma empresa capaz de fazer esse trabalho», explicou o autarca, salientando que a cobertura não apresenta qualquer anomalia do ponto de vista estrutural.

A Bola

Iniciados: UD Leiria vence CADE e é cada vez mais líder

A União Desportiva de Leiria contínua invicta no Campeonato Nacional de Iniciados ao derrotar o segundo classificado CADE (1-3) numa partida em que o factor físico foi predominante. 
A equipa do Lis entrou melhor no jogo fazendo o primeiro golo logo aos cinco minutos através de Lucas na sequência de um bom passe de rutura de Emanuel, com o avançado leiriense, na cara do guarda-redes, a não facilitar. 
O jogo apresentava uma toada equilibrada, mas passados 15 minutos a formação do Entroncamento ficou reduzida a dez unidades após uma entrada bastante dura sobre Marta que acabou por atirar o atleta leiriense para fora do encontro, tendo sido substituído por Igor. Até ao apito para o intervalo, o jogo foi disputado a meio-campo e sem grandes oportunidades para nenhum dos conjuntos, apesar do maior ascendente dos leirienses.
Na segunda parte, a UD Leiria tomou as rédeas da partida à imagem do que tinha feito na primeira metade, até que surgiu o segundo golo na sequência de um pontapé de canto com Tomás, no coração da área, a cabecear para o fundo da baliza (0-2).
A equipa do CADE reagiu à desvantagem criando algumas situações de perigo sempre bem resolvidas pela equipa visitante, mas, aos 60 minutos, também na sequência de um pontapé de canto, Francisco aproveitou a atrapalhação na área e rematou com a bola a embater num jogador da UD Leiria antes de entrar na baliza, traindo o guarda-redes Rui.
Já perto do final da partida, num lance de Bernardo que se preparada para criar perigo em velocidade, um jogador do Entroncamento 'varreu' o atleta leiriense acabando por ser expulso ao ver o cartão vermelho directo. Com mais duas unidades em campo, não foi de estranhar que pouco depois, na sequência de um cruzamento, Dany fugisse à marcação e fizesse o 1-3 final.
Vitória justa da UD Leiria num jogo que ficou manchado pela agressividade da equipa do CADE que 'conseguiu' lesionar três atletas leirienses, dois deles com alguma gravidade.
Boa arbitragem do trio que viajou desde Lisboa.

Texto: Diário de Leiria
Foto: Jorge Marques

Juvenis : SL Benfica teve que soltar génios para bater UD Leiria



UD Leiria 0
João Pedro, Pê, Pedro Neto, Gabi, Gaio, Bernardo, Rudi, Jordão, Sousa (António (73 min.), Renato (Agostinho, 68 min.), Lucas (Lourenço, 57 min.). 
Não jogaram: Dinis, Ricardo, Raul, Litos.
Treinador: Jorge Raimundo.
.
Benfica 2
Fábio Duarte, Hugo, Rúben, João Escoval, Yuri, Pedro Rodrigues, Diogo (Buta, 74 min.), Fábio Nova (João Silva, 60 min.), António Nunes (Francisco Rodrigues, 68 min.), Gonçalo e Renato Sanches.
Não jogaram: João Moreira, João Coelho, Pedro Amaral, Francisco Ferreira.
Treinador: Renato Paiva.
.
Campo da Mata, Santa Eufémia
Espectadores: 350
Árbitro: Fábio Veríssimo (Leiria).
 Auxiliares: Gracindo Vieira e Pedro Martins.
.
Ao intervalo: 0-0.
Golos: 0-1 por Fábio Nova (46 min.); 0-2 por Diogo (55 min.).
Acção Disciplinar: Jorge Raimundo (treinador) expulso do banco.
.
Depois de vitória categórica diante do Sporting (4-1) na última jornada, a recepção ao Benfica por parte da UD Leiria era encarada pelos adeptos com grande expectativa para se perceber até que ponto os juvenis leirienses conseguiriam bater o pé a outro candidato ao título.
Se a fórmula diante dos ‘leões’ resultou em pleno, frente às ‘águias’ as individualidades dos encarnados fizeram a diferença deitando por terra uma equipa da UD Leiria bem organizada e compacta, mas ‘curta’.
Os primeiros 40 minutos de jogo foram bastante monótonos, com poucas oportunidades de golo, já que os leirienses fechavam todos os caminhos para a sua baliza, enquanto o Benfica, com o seu futebol rendilhado, ia tentando pela esquerda e pela direita mas sem nunca conseguir abrir brechas na muralha defensiva dos homens da casa.
A primeira situação de perigo pertenceu mesmo à UD Leiria (19 min.), na sequência de um lançamento lateral com Lucas a desviar para a baliza, mas Fábio Duarte defendeu bem para canto.
Se o Benfica era dono e senhor do jogo, no que diz respeito à posse de bola e domínio territorial, também é verdade que os encarnados raramente incomodaram João Pedro. A única situação que fez levar algum perigo à baliza da casa saiu dos pés de Renato Sanches num remate de longa distância com o esférico a passar perto do poste.
Foi o pouco que se viu durante toda a primeira parte. No regresso dos balneários, o Benfica surgiu completamente transfigurado, trocando o seu futebol pausado por um estilo muito mais objectivo e assente nas qualidades individuais das suas peças mais preponderantes. 
Logo aos 43 minutos, após um cruzamento na esquerda, António Nunes cabeceou para grande defesa de João Pedro e, na recarga, Hugo voltou a proporcionar uma grande defesa ao guarda-redes da casa.
Depois da primeira ameaça, foi preciso esperar apenas mais três minutos para o Benfica inaugurar o marcador. Renato Sanches ganhou espaço na linha e cruzou para a pequena área onde apareceu Fábio Nova a desviar para a baliza com o peito. 
A desconcentração defensiva da UD Leiria deixou a equipa ‘atordoada’ e volvidos três minutos, a formação de Renato Paiva esteve perto de aumentar a vantagem, novamente na sequência de uma iniciativa individual de Renato Sanches com o guarda-redes João Pedro a evitar o golo a António Nunes.
O jogo acabou por ficar sentenciado ao minuto 55 quando Diogo foi desmarcado em profundidade, entrou na área e rematou cruzado já com ângulo apertado com a bola a bater no poste e a anichar-se no fundo da baliza.
Com o 0-2 no marcador, os leirienses tentaram subir as suas linhas, mas o Benfica controlou sempre as operações nunca dando quaisquer veleidades aos avançados da casa.
Vitória justa do Benfica principalmente pela boa entrada no segundo tempo, perante uma UD Leiria que ficou aquém das expectativas no sentido que raramente incomodou o último reduto dos encarnados, retirando da partida, como aspecto positivo, a consistência defensiva que apresentou durante os primeiros 40 minutos.
Em relação aos destaques individuai, o guarda-redes João Pedro foi dos que mais brilhou por parte dos leirienses, enquanto Renato Sanches, do lado do Benfica, foi o elemento mais preponderante no xadrez encarnado já que praticamente sozinho, conseguiu desmontar a teia montada pela UD Leiria. Trabalho positivo do trio de arbitragem. 

Texto: José Roque (Diário de Leiria)
Foto: Fernando José (Diário de Leiria)

Juniores : UD Leiria arranca empate mesmo contra arbitragem ‘habilidosa’

Campo da Academia do FC Porto, no Olival
Árbitro: Nuno Roque (Coimbra). 
Auxiliares: Luís Coelho e João Martins.
Espectadores: 100. 
.
FC Porto 1
Filipe Ferreira, Marcelo (Sérgio Ribeiro, 70 min.), André Ribeiro, Ricardo Tava-res, Tomás Mota, Vitor Andrade, Chicão, Belinha (Clever, 79 min.), Ruben Macedo, Ruben Alves e Jonathan (Raul, 62 min.). 
Não jogaram: João Costa, Rui Silva, Junior, Diogo Verdasca.
Treinador: Nuno Capucho.
.
UD Leiria 1
Vitor Lopes, Zé Rodrigues (Manique, 85 min.), Benny, Sandro, Denis (Miguel Ângelo, 43 min.), Fred, Rui Rodrigues, Afonso caetano, Tito, Bernardo (Rúben Fernandes, int.), Carlos Oliveira. 
Não jogaram: João Pedro, Paulo Lourenço, Simão e Madruga.
Treinador: Tiago Vicente.
.
Ao intervalo: 1-1. 
Golos: 0-1 por Sandro (12m);1-1 por Jonathan (39 min., g.p.).
Acção Disciplinar: Amarelo a Sandro (38 e 41 min.), Rúben Fernandes (84 min.), Clever (84 min.) e Benny (90+1 min.).
.
A UD Leiria abriu a fase de apuramento de campeão do nacional de Juniores com um empate (1-1) no sempre difícil terreno do FC Porto, crónico candidato ao título, e não fosse uma arbitragem desastrosa do trio que viajou de Coimbra, a turma de Tiago Vicente poderia mesmo ter conquistado os três pontos.
Desde os primeiros minutos de jogo que se percebeu qual seria a toada de jogo: o FC Porto a 'mandar' em toda a linha, enquanto a UD Leiria defendia de forma compacta no seu meio-campo e de quando em vez tentava sair em contra-ataque para chegar junto da baliza portista.
O primeiro lance de perigo foi protagonizado por Jonathan que, após uma jogada individual, tentou a meia distância com a bola a sair perto da baliza de Vítor. O extremo do FC Porto foi sempre uma dor de cabeça para a defensiva leiriense, nomeadamente para Denis que poucas vezes conseguiu ganhar no duelo individual.
Apesar do domínio do FC Porto, foi a UD Leiria a chegar ao golo na sequência de um livre à entrada do meio-campo dos dragões com Fred a atirar para a área, em que o guarda-redes Filipe Ferreira alivia o esférico para a barra da sua própria baliza e Sandro, oportuno, encostou para o golo.
Os leirienses adiantavam-se no marcador e demonstravam muita personalidade, tentando sair sempre para o ataque com critério. Em termos defensivos, a equipa era consistência, mas mesmo quando as individualidades do FC Porto desequilibravam, Vítor Lopes mostrava-se muito seguro entre os postes. Mas a UD Leiria não se limitava a defender. Num lance bem trabalhado na esquerda, Bernardo recebe a bola já dentro da área, mas o remate foi bem defendido por Filipe para canto.
Aos 35 minutos começou o descalabro do trio de arbitragem: Rui Rodrigues desmarcou Bernardo na perfeição, com o avançado a ficar isolado, mas o árbitro interrompeu a jogada assinalando fora-de-jogo num lance mal invalidado.
Quatro minutos depois, Sandro cometeu falta perigosa junto à área leiriense, mas Nuno Roque, mais uma vez, ajuizou mal e apontou para a marca do castigo máximo. Na cobrança, Jonathan restabeleceu o empate (1-1). Não satisfeito com os prejuízos que estava a incutir na UD Leiria, o árbitro voltou a ser protagonista dois minutos depois ao mostrar o segundo amarelo a Sandro num lance banal. Resumindo, em dez minutos, Nuno Roque prejudicou gravemente os leirienses em três lances.
Indiferentes a tudo isso, os jogadores do FC Porto tentaram de todas as formas voltar a chegar ao golo, mas o melhor que conseguiram foi um remate à meia-volta de Rúben Alves que passou perto do poste.
Na segunda parte, o domínio do FC Porto acentuou-se e foi sem surpresa que as oportunidades se foram sucedendo, mas Vítor Lopes mostrou muita segurança na baliza. 
Uma das oportunidades mais clamorosas pertenceu mesmo à UD Leiria quando Fred passou por tudo e todos e atirou de longa distância com a bola a embater na barra.
Com o passar do tempo, os portistas foram perdendo discernimento e os leirienses foram acreditando que podiam sair do Olival com um resultado positivo, algo que veio a acontecer fruto de uma equipa que teve no seu espírito colectivo e de sacrifício as suas principais armas, mesmo jogando mais de 50 minutos com menos uma unidade em campo.
Empate final acaba por se aceitar e que penaliza o FC Porto que nunca mostrou argumentos convincentes para derrubar uma UD Leiria muito bem organizada num jogo com arbitragem desastrosa de Nuno Roque. 

Texto: José Roque (Diário de Leiria)
Foto: António Maia 

terça-feira, 11 de Fevereiro de 2014

Juniores: SCL Marrazes perde em partida com pouco interesse


Tocha 1
Igor; João Nunes, Nuno, David, Magalhães, Diogo Cavaleiro, Rui Dias, João Reis, Daniel (Serrano, 83 min.), Temótio (Pedro Rama, 65 min.) e Miguel (Ricardo Rocha, 69 min.). 
Não jogaram: João Silva, Caldeira e Cazé. 
Treinador: Luís Carvalho.
.
SCL Marrazes 0
Diogo; Frade, Eusébio (Alex Prado, 28 min.), Tozé, João Roncy, André Lourenço, Pedro Horta, João Matos, Chiqui-nho, Edmilson e Rui Brilhante.
 Não jogaram: Pité. 
Treinador: Paulo Rabaça.
.
Complexo Desportivo da Tocha
Árbitro: Nuno Roque (Coimbra). Auxiliares: João Martins e Luís Coelho.
Espectadores: 100. 
.
Ao Intervalo: 0-0.
Golos: Daniel (47 min.).
.
No recomeço da 2.ª fase do Nacional da 2.ª Divisão de juniores, o Tocha recebeu e venceu o Marrazes por 1-0. Numa tarde muito fria, o encontro também não foi muito bem jogado de parte a parte e teve muitos poucos momentos de interesse.
Nos primeiros minutos, a equipa anfitriã dominou territorialmente, enquanto a turma visitante explorou mais o contra-ataque. Mas foi o Tocha a dispor da melhor ocasião e única na primeira parte. Aos 31 minutos, Miguel levou a melhor sobre um adversário e foi à linha de fundo cruzar para o interior da grande área, aparecendo João Nunes, de pé esquerdo, a rematar. O guarda-redes defendeu a bola, mas esta ainda bateu no poste e depois um defesa do Marrazes aliviou para canto.
O segundo tempo começou praticamente com o golo do Tocha. Foi uma bela jogada pelo lado esquerdo com João Reis a ir à linha de fundo centrar para o segundo poste, onde apareceu Temótio, de cabeça, a assistir Daniel que, muito oportuno, atirou para o primeiro golo da partida.
Com este golo, o Marrazes subiu as suas linhas à procura do tento da igualdade, mas foi o Tocha que podia ter ampliado o marcador. Aos 60 minutos, Daniel fugiu aos defesas e na cara de Diogo rematou ao lado. Até ao final dos 90 minutos, os visitantes tudo fizeram para chegar ao empate, só que oportunidades nem vê-las.
Num embate que não foi bonito de se ver jogar, a vitória dos donos da casa é inteiramente justa. Arbitragem foi mesmo a melhor equipa em campo.

Texto: José Fatia (Diário de Leiria)