quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Danny Rafael está de saída da União Desportiva de Leiria

Contratado no início de época ao Beneditense, Danny Rafael já não é jogador da União Desportiva de Leiria. O atleta de 24 anos é assim a primeira saída confirmada da equipa de Rui Nascimento, numa altura em que o clube procede a alguns reajustamentos de plantel para atacar a fase final da competição. Com as entradas de Bruno Simão, João Pimenta, Vítor Braga e Fabeta, era já natural a saída de alguns atletas, sendo que a questão de uma possível semi-profissionalização, pode levar a saída de outros atletas que não consigam conciliar a situação. 
Questionado pelo nosso blog, Danny Rafael confirmou a saída, acrescentando " neste momento ainda não tenho nada certo para prosseguir a carreira, vamos a ver o que vai aparecer".

Iniciados : Leirienses ganham a abrir a segunda fase



Naval 0
Igor; Diogo Amaral (Rafa, int.), Miguel Gaspar, Carlos, Diogo Gomes (Xavi, 68 min.), Hugo (Fred, 35 min.), Pedro Cruz, Ari, Nuno André, Bernardo e Pedro Curto. Não jogaram: Henrique, Brunito, Miguel Oliveira, Robson. 
Treinador: Mário Couceiro.
.
UD Leiria 2
Rui; Rafael (Luisão, int.), Gonçalo Cruz, Hugo Fonseca, Diogo Vieira, Tomás Dinis, Mantorras (Rodrigo, int.),Edu, Castanheira (Daniel Santos, 55 min.), Emanuel e Lucas (Bernardo, 70 min.). Não jogaram: Gonçalo, Igor Sousa e Gaspar. 
Treinador: José Horta.
.
Campo de Treinos do Estádio Bento Pessoa, na Figueira da Foz
Árbitro: Henrique Paula (Santarém). Auxiliares: João Roldão e Carlos Pereira. 
Espectadores: 120. Ao Intervalo: 0-1.
Golos: Castanheira (28 min.) e Lucas (54 min.). 
Acção Disciplinar: Amarelo a Carlos (57 min.) e Pedro Cruz (60 min.). 
.
A UD Leiria venceu a Naval na jornada inaugural da 2.ª fase do Nacional de Iniciados por 2-0, triunfo que não sofre contestação. A turma da cidade do Lis superiorizou-se por várias vezes ao longo do jogo, aproveitou da melhor forma alguns erros navalistas e, sobretudo, demonstrou grande eficácia no capítulo da finalização.
Entraram melhor os leirienses que, desde logo, mostraram vontade de assumir a iniciativa. A Naval tentou reagir e, de certa forma, até conseguiu equilibrar as operações, embora os visitantes se aproximassem da baliza figueirense com alguma facilidade. 
Apesar de as oportunidades de golo serem escassas, os leirienses inauguraram o marcador com um golo de Castanheira. A Naval perdeu o esférico no seu meio-campo e o contra-ataque leiriense surgiu com Castanheira, na cara de Igor, a não ter dificuldades para fazer o 0-1.
Após o intervalo a Naval surgiu com uma dinâmica mais ofensiva tentando assumir o jogo e virar os acontecimentos. Foi o melhor período dos figueirenses, contudo nesta fase e um pouco contra a corrente do jogo foram os visitantes que novamente chegaram ao golo num excelente trabalho de Lucas (o melhor jogador em campo) que praticamente sentenciou a partida.
A formação navalista animicamente sentiu o golo adversário, tentou remar contra a maré, todavia a turma de Leiria, com grande moral e confiança, foi dando para as encomendas e geriu a vantagem sem problemas de maior. 

Texto: Rogério Neves (Diário de Leiria)
Foto: José Oliveira

Juvenis : UD Leiria entra na fase final com o pé esquerdo

Campo da Mata, Santa Eufémia
Árbitro: Luís Cruz (Castelo Branco). 
Auxiliares: Sérgio Paiva e Jorge Andrade. 
Espectadores: 150. 
.
UD Leiria 0 
João;Pê, Migas, Gabi, Rato, Jordão, Pedro Neto (Renato, int.), Rudi, Litos (Lourenço, 56 min.), Gaio (Sousa, 63 min.) e Lucas. 
Não jogaram: André Tavares, Bernardo, Raul, António.
Treinador: Jorge Raimundo.
.
Marítimo 1
Rui Capela, Camacho, Afonso Bento, Nelson, Alexandre, André Teles, Marcelino (Pedro Teles, 90+2 min.), Henrique, Midane, Afonso Andrade (Miguel, 90+4 min.), Jesus (Leandro, 74 min.). Não jogaram: André Barros, José Leonardo. 
Treinador: Carlos Graça. 
.
Ao intervalo: 0-1. 
Golos: 0-1 por André Teles (35 min.).
Acção Disciplinar: Amarelo a Rui Capela (67 min.), Rato (69 min.), Henrique (73 min.).
.
No jogo inaugural da 2.ª fase do nacional de Juvenis, a UD Leiria perdeu em casa (0-1) diante do Marítimo num jogo em que os leirienses deixaram uma pálida imagem do seu valor, muito por culpa dos insulares que, com uma equipa bem organizada e dotada de jogadores com excelente técnica individual, não deram grandes veleidades à formação de Jorge Raimundo.
O jogo começou com o Marítimo a mostrar que vinha a Leiria na busca pelos três pontos, criando perigo numa grande oportunidade após cruzamento na direita em que Henrique rematou para boa defesa de João e, na recarga, o mesmo jogador atirou ao poste.
Ficou o aviso, mas a UD Leiria só conseguia responder a espaços e a melhor oportunidade acabou por surgir após cruzamento de Lucas em que Litos desviou ao primeiros poste para boa defesa para canto de Rui Capela.
A cinco minutos do intervalo, o Marítimo ganhou um livre à entrada da área num lance que suscitou muita contestação dos homens da casa, mas, indiferente aos protestos, André Teles rematou e viu a bola embater na barreira, enganando por completo o guarda-redes João.
O resultado ao intervalo premiava a equipa que tinha disposto das melhores oportunidades e esperava-se mais da UD Leiria no segundo tempo, numa fase em que o técnico leiriense apostou em Lourenço, Renato e Sousa para 'mexer' com o jogo.
A equipa tentou por todas as formas chegar ao golo, mas a UD Leiria não conseguiu criar uma verdadeira oportunidade para marcar, com o Marítimo a fechar as suas linhas e a tapar todos os caminhos para a sua baliza. Já sob o cair do cano, foram mesmo os maritimistas a estarem perto do golo num contra-ataque venenoso em que Leandro rematou a centímetros do poste.
Vitória dos insulares que acaba por se aceitar num jogo com boa arbitragem, ficando apenas algumas dúvidas no lance do livre directo que dá origem ao golo do Marítimo.

Texto: José Roque (Diário de Leiria)
Foto: Rui Bruno

UD Leiria: Ambição ‘profissional’ vai levar a dispensas

A UD Leiria prepara-se para reestruturar o seu plantel sénior a pensar na subida de divisão. Se na primeira fase do campeonato nacional de seniores o objectivo era ficar nos dois primeiros lugares, agora que essa meta foi atingida, o clube ambiciona voos mais altos e, para tal, terá que apetrechar o seu plantel com elementos com outras características para uma fase de subida que se prevê bastante exigente.
Para já a UD Leiria garantiu a contratação de quatro reforços (Bruno Simão, João Pimenta, Fabeta e Víctor Braga), mas sabe o Diário de Leiria que, nos próximos dias, deverão chegar ao clube do Lis mais dois jogadores para actuarem na linha da frente.
A vinda destes reforços irá obrigar o técnico Rui Nascimento a dispensar jogadores, ainda para mais quando o clube pretende começar a treinar à tarde (16h00) levantando um problema para aqueles jogadores que, sendo amadores, trabalham durante o dia.

José Roque - Diário de Leiria

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Juvenis : Vitória Indiscutível do SC Beira Mar na Marinha Grande

Em fraco jogo de futebol, a equipa do Marinhense nunca conseguiu encontrar argumentos para se superiorizar à equipa do Beira-Mar, e acabou derrotada por 0-3.

1ªJornada da 2ªFase do Campeonato Nacional Juvenis / Série C
Estádio Municipal da Marinha Grande
Árbitro: Ricardo Branco (CA de Portalegre)
Assistentes: Sérgio Pita e Luís Neves
Espectadores: 100
AC Marinhense – SC Beira-Mar

AC Marinhense 0: David, Letra, Zé Ricardo (Cap.) (Diogo Vicente, 45 min.), Couto, Veloso (João Duarte, 55 min.), Lisboa, Ribeiro, Godinho, André Gil (Tony, 55 min.), Coelho, Marcos
Não Jogaram: Leandro, Miguel, João Carlos
Treinador: Rúben Ferreira
Adjunto: José Fate
Delegado : José Pinto
.
SC Beira Mar 3: Diogo, Bruno (João Gonçalo, 80+2 min.), Ramon, Guga, Mango, Lucas, André Gonçalves, Neves, Manú (Tiago, 73 min.), Marcos, Rafa (Portugal, 78 min.)
Não Jogaram: João
Treinador: José Maria
Delegado: Armando Rodrigues
.
Ao Intervalo: 0-1
Marcadores: 0-1 Manú (20 min.), 0-2 Mango (50 min.), 0-3 Rafa g.p (60 min.)
Acção Disciplinar: Amarelo a João Duarte (63 min.).
.
Num jogo poucas vezes entusiasmante, a equipa do SC Beira-Mar deslocou-se à Marinha Grande e venceu a equipa do Marinhense por 0-3.
O jogo até começou equilibrado, mas paulatinamente o Beira-Mar foi crescendo e passou a controlar o meio-campo. Assim, não foi de estranhar, que aos 20 min., chegue mesmo ao 0-1. Grande remate de Marcos, com a bola a embater na barra da baliza de David, e perante a passividade da defesa do Marinhense, Manú a ser mais rápido, e a fazer o 0-1. Em vantagem no marcador, a equipa do Beira-Mar ia mostrando mais tranquilidade e principalmente através do possante Marcos, ia dando muito trabalho à defensiva do Marinhense, que ia acusando muitas dificuldades. O Marinhense procurava equilibrar o jogo, mas as transições defesa-ataque raramente saíam bem, e com facilidade a equipa do Beira-Mar recuperava a bola.
Com mais bola e mais esclarecidos no jogo, não foi então de estranhar que aos 50 min., o Beira-Mar amplie a sua vantagem para 0-2. Jogada na esquerda, Rafa a cruzar e Manga a desviar para o golo. Dez minutos depois, aos 60, novo golo para o Beira-Mar, desta vez por Rafa, na marcação de uma grande penalidade, depois uma mão na bola de um defesa da equipa do Marinhense. Os comandados de Rúben Ferreira ia procurando contrariar o domínio da equipa de Aveiro, mas só aos 69 min., criam algum perigo, com Diogo Vicente a cabecear perigoso, para defesa apertada de Diogo para canto. Na resposta, novo lance de muito perigo para o Beira-Mar, com Manga a cabecear à barra da baliza de David, após mais uma boa jogada na esquerda do Beira-Mar.
Vitória indiscutível da equipa que viajou desde Aveiro, que foi sempre a equipa mais objectiva em campo e que sem ter feito um jogo excepcional, mereceu por inteiro a vitória. Quanto ao Marinhense, esteve longe das boas exibições que já fez esta época e como tal o resultado espelha isso mesmo.
Quanto a arbitragem de Ricardo Branco e seus pares, pequenos erros de pormenor sem qualquer influência no resultado final. Boa arbitragem.

Juniores : UD Leiria ‘esmaga’ U. Coimbra e assegura fase final



UD Leiria 3
Vítor, Zé Rodrigues, Miguel Ângelo, Benny (Manique, 71 min.), Tito, Ruben, Rui Figueiredo, Afonso (Vasco Pontes, 73 min.), Simão (Madruga, 60 min.), Miguel Miguel, Carlos Oliveira. 
Não jogaram: André Oliveira, Bernardo Jorge e Figueiredo.
Treinador: Tiago Vicente.
.
U. Coimbra 0
Gomes, Batista, Kelvin, Fábio, Piquê, Guilherme, Ggonna (Joel, int.), Gustavo (Pedrito, 63 min.), Tiago Alves, Larry (Fiador, 80 min.). 
Não jogaram: Ricardo, Ivo.
Treinador: Bruno Domingos.
.
Campo da Mata, Santa Eufémia
Árbitro: Duarte Morgado (Portalegre). Auxiliares: Vítor Silva e João Roque.
Espectadores: 200. Ao intervalo: 2-0. 
Golos:1-0 por Miguel Miguel (38 min.); 2-0 por Carlos Oliveira (42 min.); 3-0 por Carlos Oliveira (70 min.).
Acção Disciplinar: Amarelo a Batista (79 min.) e Piquê (84 min.).
.
A UD Leiria conseguiu um triunfo tranquilo por 3-0 diante da U. Coimbra num jogo em que, para os leirienses, bastava o empate para carimbar a passagem à fase final da competição. 
O jogo acabou por não ter grande história tendo em conta a supremacia do conjunto da casa que sentiu algumas dificuldades na fase inicial para penetrar na defesa visitantes, sendo mesmo a U. Coimbra a criar a primeira situação de perigo num remate cruzado de Gustavo que passou muito perto do poste da baliza de Vítor. A resposta surgiu nos pés de Carlos Oliveira numa bela jogada individual, mas o remate saiu rente ao poste. Depois de algumas aproximações perigosas dos leirienses, eis que surgiu o golo numa jogada de combinação entre Afonso e Miguel Miguel com este último a ultrapassar o defesa e a desviar para o golo à saída de Gomes.
Ainda na primeira parte, foi a vez de Carlos Oliveira, em jogada individual, tirar dois adversários do caminho, mas o remate foi defendido por Gomes, contudo, na recarga, o avançado leiriense não perdoou perante a passividade conimbricense.
No segundo tempo, a toada do jogo manteve-se com a U. Coimbra a não conseguir apresentar argumentos para discutir o resultado, exceptuando um lance de Joel que, em boa posição, rematou ao lado. No entanto, foram os leirienses que fixaram o resultado final num cabeceamento de Carlos Oliveira após pontapé de canto de Miguel Miguel. Antes disso, já Madruga tinha desperdiçado uma oportunidade clamorosa.
Vitória justa dos leirienses que não tiveram grandes dificuldades em bater uma frágil equipa que viajou desde Coimbra. No lado dos visitantes, palavra de destaque para o capitão Tiago Alves que foi o jogador mais inconformado, apresentando uma qualidade técnica acima da média, enquanto a UD Leiria teve no seu colectivo a sua principal arma conseguindo, com todo o mérito, a passagem à próxima fase de apuramento de campeão.
Trio de arbitragem teve a um bom nível.

Texto e foto: José Roque (Diário de Leiria)

Seniores : UD Leiria deixa fugir vitória nos últimos minutos

UD Leiria 3
Maranhão; Juvenal, Luís Oliveira, Luiz Carlos, Danny Rafael, Kata, Leandro (Coça, 77 min.), André Perre, Jota (Hélio Vaz, int.), Dário (Tiago Lopes, 60 min.) e Cedric. 
Não jogaram:Guerra, Emiliano Tê, Ricardo Cardoso e Pepo.
Treinador: Rui Nascimento.
.
Mafra 3
Godinho, Monteiro, Anicet (Feliciano (71 min.), Baixinho, João Pedro, Tiago Costa, Allison, Leo, Tuga, Tavares (Bonifácio, 69 min.) e Rente (Yang, 78 min.). 
Não jogaram: Elói, Pengfei, David, Micael.
Treinador: Elói Zeferino.
.
Estádio Municipal de Leiria
Espectadores: 250.
Árbitro: João Mendes (Santarém).
Auxiliares: Jorge Maia e Afonso Silva. 
Ao intervalo: 2-1.
Golos: 0-1 por Luiz Carlos (a.g., 20 min.); 1-1 por Luiz Carlos (g.p., 30 min.); 2-1 por Cédric (43 min.); 3-1 por Hélio Vaz (69 min.); 3-2 por Yang (80 min.); 3-3 por Allison (g.p., 83 min.).
Acção Disciplinar: Amarelo a Anicet (25 min.), Kata (50 e 83 min.), Leandro (74 min.), Leo (85 min.), Bonifácio (90+2 min.).
.
Num jogo que servia apenas para cumprir calendário, UD Leiria e Mafra proporcionaram um bom espectáculo de futebol coroado com golos, emoção, grandes penalidades e uma expulsão, terminando a partida com uma igualdade a três bolas que acaba por se aceitar.
Com o apuramento para a fase se subida já garantido, ambas as equipas jogaram com os olhos postos na baliza contrária, começando melhor a UD Leiria num remate à entrada da área de Cédric para uma boa intervenção de Godinho para canto.
Os leirienses estavam mais perigosos e voltaram a ameaçar após um livre directo de Luiz Carlos que levou a bola a embater na barra. Na recarga, Cédric, com a baliza completamente deserta, fez o mais difícil e cabeceou por cima. 
Como quem não marca, sofre, eis que o Mafra, que pouco tinha feito para inaugurar o marcador, chegou ao golo após cruzamento de João Pedro em que Luiz Carlos desviou para a própria baliza.
Os leirienses ‘abanaram’ com o golo sofrido e o Mafra podia mesmo ter aumentado a vantagem quando Tuga, com tudo para fazer o 0-2, atirou à figura de Maranhão. Na resposta, a UD Leiria chegou ao empate através de uma grande penalidade a castigar falta sobre Leandro na área. Na cobrança do castigo, Luiz Carlos não facilitou (1-1).
Num jogo de parada e resposta, foi a vez do Mafra criar muito perigo quando Tavares, em boa posição, atirou pouco ao lado e, no minuto seguinte, foi a UD Leiria a estar perto do golo quando Jota se deslumbrou quando só tinha Godinho pela frente.
O golo para os leirienses apareceu já perto do intervalo num cruzamento de Leandro bem correspondido por Cédric que, de cabeça, fez o 2-1.
O segundo tempo voltou a trazer muitos golos à partida e a ser disputado com grande intensidade, com os leirienses a criarem muito perigo numa desmarcação de Leandro em que Perre rematou para grande defesa de Godinho. A meio da segunda parte, a UD Leiria chegou mesmo ao 3-1 num cruzamento de Kata com Hélio Vaz a cabecear de forma certeira. Com o ‘jogo na mão’, pensava-se que os leirienses iriam impor a primeira derrota ao líder do campeonato, mas a formação de Mafra nunca baixou os braços, chegando ao 3-2 pelo recém-entrado Yang a aproveitar uma defesa incompleta de Maranhão e a passividade da defensiva da casa.
Três minutos depois surgiu o caso do jogo, com o árbitro a assinalar uma grande penalidade que deixa algumas dúvidas, originando a expulsão de Kata por duplo amarelo. Na marca dos 11 metros, Allison enganou Maranhão e restabeleceu a igualdade (3-3).
Os últimos minutos da partida voltaram a ser frenéticos, com a UD Leiria a desperdiçar os três pontos já no período de descontos quando Perre cruzou para a área e Hélio Vaz, à boca da baliza, falhou de forma escandalosa quando já se gritava golo nas bancadas.
Empate final deixa um amargo de boca aos leirienses já que pareciam ter o jogo controlado, mesmo utilizando um 11 pouco habitual, perante um Mafra que mostrou porque acabou o campeonato em primeiro lugar.
Trabalho positivo do trio de arbitragem. 

Texto: José Roque (Diário de Leiria)
Foto: Luis Filipe Coito

Juniores : UD Leiria vence U.Coimbra e apura-se para a Fase Final do Campeonato

22ªJornada do Campeonato Nacional de Juniores / Série Sul
--
Resultados:
Atlético 1 - Torreense 0
Real 2 - CF Belenenses 0
Nacional 1 - Oeiras 1
Sporting 2 - SL Benfica 0
UD Leiria 3 - U.Coimbra 0
V.Setúbal 1 - Estoril Praia 2
--
Classificação Final:
------
Sporting, Benfica, Oeiras e UD Leria vão disputar a fase final da competição. 
-----

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Prognósticos para a Fase Final da Zona Sul do Campeonato Nacional de Seniores.


O melhor palmarés é sem dúvida do União Leiria, mas o principal candidato é o CD Mafra que se mantém invencível, pelo que fez esta época, como pelo que tem produzido nos últimos anos. O nosso palpite coloca o Mafra em primeiro lugar e a disputa pelo 2º lugar no play-off para o Oriental (em subida de forma), União Leiria e Pinhalnovense. Benfica Castelo Branco, vencedor da série E, (teoricamente mais fácil), tem agora que medir forças com equipas mais fortes. Loures e Ferreiras poderão vir a perder o factor surpresa...

... o vosso palpite e expliquem porquê...

in História do Futebol em Portugal

domingo, 26 de janeiro de 2014

1ªJornada da Fase de Manutenção - Campeonato Nacional de Iniciados / Série E

Resultados:
SL Marinha 3 - Torreense 0 
Salvaterrense 2 - O Elvas 0
SL Cartaxo 2 - CD Fátima 1
Caldas SC 3 - Eléctrico 1
--
Classificação:
--
Próxima Jornada 2-2-2014:
Eléctrico - Salvaterrense
O Elvas - SL Marinha
CD Fátima - Caldas SC
Torreense - SL Cartaxo

1ªJornada - 2ªFase - Campeonato Nacional Juvenis Série C - Fase Manutenção

Resultados:
AC Marinhense 0 - SC Beira Mar 3 
SC Covilhã 2 - Académico Viseu 2
NDS Guarda 2 - Naval 1ºde Maio 1
Anadia 1 - Repesenses 1
--
Classificação:
--
Próxima Jornada 2-2-2014:
SC Beira Mar - Anadia
Naval 1ºde Maio - AC Marinhense
Académico Viseu - NDS Guarda
Repesenses - SC Covilhão

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Seniores : Sabry reforça Caldas Sport Clube

O Caldas adquiriu o concurso do avançado Sabry, que jogava no Oriental da Série G do CN Seniores. O jogador começou a treinar na última semana com o plantel caldense. Poderá estrear-se neste domingo.
A entrada de Sabry visa colmatar a saída de Bacari, que rumou para um clube das divisões secundárias da Alemanha.
De saída está Marcel Rosas, que não tem sido muito utilizado. O jogador vai representar até ao final da temporada o Murteirense, dos distritais de Lisboa.

O Derbie

Seniores : Miguel Pardal deixa comando técnico da AD Portomosense

Miguel Pardal já não é o treinador do Portomosense. O treinador pediu a demissão do comando técnico do clube de Porto de Mós e a direcção aceitou.
O Portomosense a uma jornada do final da primeira fase soma 10 pontos e ocupa a penúltima posição da série F do CN Seniores. Durante esta semana o novo treinador deve ser apresentado.

O Derbie

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Juniores : Faltou o ‘sal e a pimenta’ na partida de Touriz

Campo Mauro Gama, em Touriz
Árbitro: Sérgio Soares (Porto). 
Auxiliares: Jorge Aguiar e Rui Costa.
Espectadores: 30. 


Tourizense 2
Gilson; Igor, Pedro, Félix, Sérgio, Ivo, Zito, João Pais (Relvas, 65 min.), Manteigas (Zezito, 47 min.), Admir (Adílson, 70 min.) e Varela. Não jogaram: Miguel, Leandro e Carlos. 
Treinador: Miguel Marques.
.
SCL Marrazes 1
Diogo; Luís Alves, Eusébio, Tozé, André, Chiquinho, Pedro Horta, João Matos, Ednilson, Vítor e Rui Brilhante. Não jogaram: Pité, André Cruz e Vitinho.
Treinador: Paulo Rabaça.
.
Ao Intervalo: 0-0
Golos: 1-0 por Félix (60 min.); 2-0 por Varela (65 min.); 2-1 por João Matos (80 min.).
Acção Disciplinar: Amarelo a Admir (55 min.).
.
O Tourizense derrotou, sábado à tarde, o Marrazes por 2-1, e somou a segunda vitória consecutiva na Série C, do campeonato nacional de Juniores.
Na primeira parte assistiu-se a um jogo fraco, com o emblema de Touriz a não conseguir materializar o favoritismo sobre o penúltimo classificado do grupo. Após o descanso aumentaram as oportunidades e os golos acabaram por aparecer. Do “laboratório” saíram os dois primeiros golos.
Livres combinados e assistências de Igor à entrada da área. Depois, Félix e Varela fizeram de cabeça os primeiros tentos da tarde. De uma jogada de contra-ataque apareceu o 2-1 da autoria de João Matos que bateu o guardião Gilson.

Texto: Diário de Leiria

Juvenis : Leirienses vencem rivais e justificaram liderança

Campo Ramos de Carvalho, em Adémia
Árbitro: Serafim Silva (Santarém). 
Auxiliares: Rui Cabeleira e Rui Ferreira.
Espectadores: 100. 
.
Académica 0
Zé Tó; Miguel Barreto, Miguel Batista, João David (Hugo Ribeiro, 76 min.) e Lapa; Rui Matos; João Gonçalo e Miguel Henrique (Josemar, 55 min.); Gonçalo Carvalho, Xavier (Assis, 70 min.) e Henrique.
 Não jogaram: Afonso, Lagoa, J.P. e Tiago.
Treinador: Rui Silva.
.
UD Leiria 2
Pedro; Pê, Bernardo, Miguel e Soares; Neto e Jordão; Rudi, Litos (Bernardo Lopes, 40 min.) e Gaio (Gonçalo, 72 min.); Lucas (Renato, 68 min.). Não jogaram: Miguel Martins, Gonçalves, Leonardo e Raul.
Treinador: Jorge Raimundo.
.
Ao intervalo: 0-1. Golos: 0-1 por Jordão (14m); 0-2 por Rudi (42m). 
Acção Disciplinar: João David (14 min.), Xavier (60 min.), Neto (65 min.) e Gonçalo (80 min.). Cartão vermelho directo a Carlos (51 min.).
.
Este era um jogo entre duas equipas com a vida definida. À partida para a última jornada da primeira fase do Nacional de Juvenis, Académica e UD Leiria tinham já garantido o apuramento para a fase seguinte do campeonato. 
Os leirienses, com apenas uma derrota, tinham também já assegurado o primeiro lugar da Série C. O jogo foi o espelho da classificação e percebeu-se bem a razão dos leirienses vencerem o grupo e a Académica ficar com o segundo lugar.
O técnico da Académica aproveitou este contexto para promover à equipa titular jogadores geralmente menos utilizados. Certamente, também, por isso, a Briosa pouco ou nada conseguiu fazer para obstar à superioridade contrária. A UD Leiria foi sempre mais forte, dominou o jogo durante toda a primeira parte e geriu a vantagem na segunda. Zé Tó, com uma grande defesa a uma cabeçada de Bernardo, ainda impediu o golo da equipa visitante que surgiu pouco depois através de uma grande penalidade concretizada por Jordão.
Na primeira jogada do segundo tempo, Rudi 'fugiu' pela direita e rematou forte para o fundo das redes. A UD Leiria ampliou a vantagem e definiu aí a partida. 
A Académica não conseguiu criar lances de perigo e o jogo 'correu' para o fim debaixo de muita chuva e sem motivos de grande interesse.
Na análise ao trabalho da equipa de arbitragem ficou uma dúvida no lance que originou a grande penalidade de onde resultou o primeiro golo da UD Leiria, em que ficou claramente a ideia de que existe bola na mão de João David e não mão na bola. No entanto, Serafim Silva, em cima da jogada, considerou que o jogador da Académica teve intenção de jogar a bola com a mão e sancionou a grande penalidade. Em tudo o resto, realizou um bom trabalho.

Texto: Luís Pedro Reis (Diário de Leiria)
Foto: Diário de Coimbra

Juvenis : Falta de eficácia e audácia justifica nulo

Campo de Treinos do Estádio 
Municipal José Bento Pessoa (Figueira da Foz)
Árbitro: Fábio Veríssimo (Leiria). 
Auxiliares: Pedro Martins e Gracindo Vieira. 
Espectadores: 80. 

Naval 0
Paulo, Zé Pedro (cap.), Toca, Leandro, Soqueiro, André Pina, Carlos (Loic, ao intervalo), Moacir, Flávio Alexis, e Ruben (Hiago, 65 min.). 
Não jogaram: Hugo Monteiro, Xavier, Bernardo, Chupeta e Fábio. 
Treinador: Fernando Mira.
.
AC Marinhense 0
David, Couto (Ricardo Fernandes, 67 min.), Toni, Godinho, Zé (cap.), Gonçalo Veloso, João Carlos (Gito, ao intervalo), Bacalhau, Marques (Gonçalo Coelho, 60 min.), Gonçalo Ribeiro e Letra. 
Não jogaram: Leandro e Natário.
Treinador: Ruben Ferreira.
.
Ao intervalo: 0-0. 
Golos: Nada a registar.
Acção Disciplinar: Amarelo a Gonçalo Coelho (70 min.), Hiago (80 min.) e Gito (80+1 min.).
.
Saldou-se por um 'nulo' o encontro que colocou frente-a-frente a Naval e AC Marinhense, respectivamente último e 7.º da tabela classificativa, separados por 12 pontos. 
Apesar do ponto somado, não se pode considerar um bom resultado para a equipa figueirense que precisa de diminuir o fosso pontual para os seus adversários mais directos (Sp. Covilhã e NDS Guarda) a fim de poder equilibrar em termos pontuais a disputa da segunda fase onde acontecerão as grandes decisões, designadamente as que dizem respeito à permanência neste escalão nacional.
Quanto à partida, as duas formações pecaram por falta de audácia. No período inicial, os marinhenses chegaram a ter alguma superioridade, assinalada no seu melhor período com duas oportunidades de golo, aos 27 e 29 minutos, que não surgiu devido a duas excelentes intervenções do guardião da Figueira da Foz, Paulo. 
O intervalo foi bom conselheiro para os navalistas e Fernando Mira decerto explicou que só ganha quem marca golos e, desta forma, a Naval apareceu mais afoita, com melhor dinâmica ofensiva, mas com imensa fragilidade no último terço do terreno.
O resultado final (0-0) acaba por ajustar-se ao que se passou no terreno com o domínio a ser repartido pelas duas equipas, uma em cada parte, mas ambas a demonstrar níveis reduzidos de eficácia.

Texto: Rogério Neves (Diário de Leiria)
Foto: Diário de Coimbra

Juniores : UD Leiria a um passo da fase final após vitória em jogo de ‘loucos’

Campo da Mata, Santa Eufémia
Árbitro: Hélder Malheiro (Lisboa). 
Auxiliares: Pedro Mota e Luís Estrela. 
Espectadores: 250. 
.
UD Leiria
Vitor, Miguel Ângelo, Benny, Sandro (Madruga, 63 min.), Zé Rodrigues, Fred, Rui Rodrigues, Afonso, Miguel Miguel, Tito (Simão, 75 min.) e Carlos Oliveira (Manique, 90+4 min.). 
Não jogaram: João Pedro, Tiago Figueiredo, Ruben Fernandes, Bernardo.
Treinador: Tiago Vicente.
.
Vit. Setúbal 2
Miguel Lázaro, Gonalo, Dinei, Nuno, Cristiano, Cristo, Fredy, Gregório, Horta (João Barros, 55 min.), Fidalgo (Marcelo, 31 min.), Elói (João Pereira, 70 min.). 
Não jogaram: Gamito, Pineu, Pedro Nogueira e Mica. 
Treinador: Gonçalo Carvalho. 
.
Ao intervalo: 1-1. 
Golos: 1-0 por Carlos Oliveira (0 min.); 1-1 por Sandro (a.g., 13 min.); 1-2 por Marcelo (61 min.); 2-2 por Fred (79 min.); 3-2 por Carlos Oliveira (90+2 min.).
Acção Disciplinar: Amarelo a Nuno (28 e 53 min.), Benny (35 min.), Gonçalo (48 min.), Horta (51 min.), Miguel Miguel (51 min.), Zé Rodrigues (64 min.), Dinei (66 min.), Afonso (83 min.), Simão (90+1 min.), Carlos Oliveira (90+3 min.). Cartão vermelho directo a Fred (90+4 min.) e por acumulação a Nuno (53 min.).
.
A faltarem duas jornadas para o final do campeonato, a UD Leiria deu um passo decisivo para o apuramento para a fase final da prova fruto do actual quarto lugar. No sábado, frente ao adversário directo, a quem apenas a vitória interessava, os leirienses venceram por 3-2 num jogo que teve de tudo: auto-golos, grandes penalidades falhadas, expulsões, agressões e muita, muita emoção até ao apito final.
O jogo começou equilibrado, mas foi a UD Leiria a adiantar-se no marcador numa boa jogada individual de Miguel Miguel sobre a direita, cruzando para a cabeçada vitoriosa de Carlos Oliveira à boca da baliza.
Em vantagem no marcador, os leirienses permitiram a reacção dos sadinos que, cinco minutos depois, chegaram ao empate após cruzamento na direita com o defesa central Sandro a desviar para a própria baliza, num lance infeliz. Até ao intervalo, coube ao Vitória de Setúbal a despesa do jogo, mas sem nunca conseguir criar verdadeiras situações de perigo, contra uma UD Leiria que parecia mais interessada em segurar o empate.
O segundo tempo começou na mesma toada, com ambas as equipas a conseguirem chegar com algum perigo junto das áreas adversárias, mas sem que os guarda-redes fossem verdadeiramente importunados. Até que ao minuto 53, o Vit. Setúbal ficou reduzido a dez elementos por expulsão do defesa central Nuno, dificultando ainda mais a tarefa dos sadinos. Mesmo assim, foi mesmo a equipa de Gonçalo Carvalho quem conseguiu chegar ao golo na sequência de um pontapé de canto em que a bola sobrou para Marcelo que fez calmamente o 1-2.
Nas bancadas bem compostas da academia unionista, já havia adeptos de mãos na cabeça, com o técnico Tiago Vicente a apostar tudo no ataque com a entrada de Madruga e Simão, passando a jogar com dois avançados fixos. Esta estratégia veio a dar frutos a dez minutos do fim quando Dinei carregou Madruga em falta dentro da área, com Fred e converter o castigo máximo e a restabelecer a igualdade (2-2).
Mas a verdadeira emoção estava guardada para o período de compensação quando os leirienses tentavam guardar o empate, quando Simão cometeu falta sobre Dinei dentro da área com o árbitro a apontar para o castigo máximo. Na transformação, Gregório permitiu a defesa de Vítor que 'salvou' os leirienses de uma derrota embaraçosa. Quando se pensava que o jogo ficaria por aqui, puro engano. Aos 90+2 minutos, numa recuperação de bola ainda no meio campo sadino, a bola sobrou para Carlos Oliveira que, com toda a calma do mundo, atirou para o fundo da baliza para delírio dos adeptos, fixando o resultado final em 3-2.
Até ao apito final, destaque apenas para a expulsão de Fred por agressão num jogo em que os leirienses justificaram por nunca terem deixado de acreditar num resultado positivo, apesar da equipa ter ficado longe de uma boa exibição.
Trabalho irregular do trio de arbitragem que viajou de Lisboa, já que conseguiu irritar os adeptos de ambas as equipas com decisões controversas.

Texto e foto: José Roque (Diário de Leiria)

Iniciados : SL Marinha não merecia ter sido ‘atropelado’ pelo líder

Campo da Mata, Santa Eufémia
Árbitro: Pedro Tomás Silva (Lisboa). 
Auxiliares: Martinho Amaro e Carlos Fidalgo.
Espectadores: 100. 
.
UD Leiria 4
Rui (Gonçalo, int.), Dedé, Vieira, Luisão (Fonseca, int.), Renato, Tomás Dinis, Edu (Igor, 65 min.), Mantorras (Marta, int.), Bernardo (Emanuel, 55 min.), Castanheira e Lucas.
 Não jogaram: Gaspar e Dani. 
Treinador: José Horta.
.
SL Marinha 1
Marco, rafael (Ribeiro, 47 min.), Dilan, Leandro, Luís Carlos, Gameiro, Oliveira, Mousinho (Claudio, int.), Márcio, Rafa, Madruga (João Miguel, 57 min.). 
Não jogaram: Cardoso. 
Treinador: Leonel Leal.
.
Ao Intervalo: 1-0
Golos: 1-0 por Lucas (22 min.); 2-0 por Castanheira (45 min.);2-1 por Márcio (50 min.), 3-1 por Dedé (53 min.), Vieira (64 min.).
Acção Disciplinar: Amarelo a Bernardo (38 min.).
.
Em jogo da última jornada da primeira fase do nacional de Iniciados, a UD Leiria e o SL Marinha proporcionaram uma boa partida de futebol, com muitos e bons golos, em que a vitória assentou que nem uma luva aos leirienses por 4-1, apesar da boa réplica dos marinhenses que não mereciam uma diferença tão dilatada no marcador.
O líder do campeonato começou o jogo da melhor forma com um golo obtido por Lucas, através da transformação de uma grande penalidade a castigar mão na bola de Leandro dentro da área, numa decisão acertada do árbitro.
Em desvantagem, o SL Marinha tentou uma reacção, apresentando um futebol articulado, mas sentiu sempre grandes dificuldades para chegar com perigo junto da baliza de Rui. Por outro lado, a UD Leiria esteve perto de aumentar a vantagem numa recuperação de bola de Castanheira com Bernardo a tirar um adversário da frente e a rematar à entrada da área ao poste.
Se na primeira parte só houve um golo, já o segundo tempo foi jogado ao ritmo dos golos, com a UD Leiria a chegar ao 2-0 numa jogada de Dedé que cruzou para Castanheira que só teve que encostar para o fundo das redes. Cinco minutos depois, reagiram os vidreiros, com Márcio, na esquerda, a fazer um cruzamento/remate que fez a bola sobrevoar o guarda-redes Gonçalo, fazendo o 2-1.
Com a incerteza no resultado a imperar, o SL Marinha esteve perto da igualdade novamente por Márcio que, sozinho, rematou às malhas laterais.
Depois do susto, os leirienses voltaram a pegar nas rédeas da partida e marcaram mais dois golos. O primeiro por Dedé na sequência de um livre para a área de Lucas; e o segundo na sequência de um canto, com Vieira a aproveitar o ressalto para fazer o 4-1 final.
Vitória justa dos leirienses num jogo que contou com boa arbitragem do trio que viajou desde Lisboa.

José Roque - Diário de Leiria

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Juniores : Telmo Cruz é o novo treinador do Beneditense

Depois da saída de José Pedro Saturnino, a equipa Junior do Beneditense já tem novo treinador. Trata-se de Telmo Cruz, o treinador que iniciou a época na equipa da ACR Maceirinha, e que agora abraça assim um novo desafio profissional, tendo já orientado a equipa do passado sábado na importante vitória em Mafra. Em declarações ao nosso blog, o técnico confirmou o seu ingresso no clube da Benedita.

Iniciados : UD Leiria conheceu adversários da 2ªFase

Depois de há muito ter garantido o acesso à 2ªFase da comeptição, a equipa de Iniciados da União Desportiva de Leiria ficou hoje a conhecer os seus adversários na prova. Assim, para além da UD Leiria, o grupo é composto pelas equipas da UD Oliveirense, Anadia FC , Académica, Naval 1ºde Maio e CADE, num grupo que se prevê equilibrado, mas onde sobressai a nota de não estar nenhum dos chamados três grandes do nosso futebol, o que à partida é positivo. Para a 3ªFase da competição, apuram-se os três primeiros de cada série, mais o melhor 2ºclassificado

Juvenis : Internacional espanhol é reforço na União Desportiva de Leiria

A União Desportiva de Leiria acaba de anunciar no seu Face oficial a contratação de David  Gonzalez,  médio/avançado, internacional espanhol em sub-16 e sub-17 e que se desvinculou do seu anterior clube o CD Tenerife, vindo agora reforçar a equipa da UD Leiria. 
O atleta poderá ser assim uma peço importante para a 2ªFase do Campeonato Nacional de Juvenis, no qual a equipa do Lis hoje mesmo ficou a conhecer os seus adversário, a saber : SL Benfica, Sporting, CS Maritimo, AD Oeiras e Estoril Praia.

sábado, 11 de janeiro de 2014

Histórico UD Leiria - SCU Torreense (Seniores)


União Leiria - Torreense, um dérbi da Zona Centro que foi acordado na época passada. Um duelo com história, de duas equipas que se defrontaram na 2ª divisão. As falhas foram esporádicas até 1994; o União quando subiu à 2ª divisão em 1971, permaneceu até 1979. O Torreense, longe dos seus anos de glória de 50 e 60, esteve ausente duas vezes, em 1973 e 1978.
Em 1978/79, o União sobe à 1º divisão, com um Torreense a lutar pela manutenção, o que já não evitaria duas épocas depois em 1980/81, com nova subida dos leiriense. Os anos oitenta, foi o maior período com ambas as equipas na 2ª divisão e de maior equilibrio, sendo mesmo em 1987/88 que o Torreense consegue vencer pela primeira e única vez na sua história em Leiria, no melhor período do Torreense nos campeonatos com o União.
A partir da década de noventa, surge a Liga de Honra e o Torreense consegue o 3º lugar em 1991, subindo à 1ª divisão quase 40 anos depois, permanecendo lá uma época. Em 1993/94 é a vez do União a subir, com mais sucesso, passaria os anos seguintes na 1ª divisão. A última vez que se defrontam é em 1997/98, com um resultado desnivelado; o União era campeão da Honra e o Torreense desceria à 2ª B. Nos anos que se seguiram, tivemos um União de primeira e o Torreense na 2ªB.
Ao longo dos anos o União tem tido um ligeiro ascendente sobre o Torreense de 55%-45% em 20 campeonatos, terminara melhor em 11. No Municipal Magalhães Pessoa, resume-se a 18 jogos, 14 vitórias do União, 3 empates e 1 vitória do Torreense.

Fonte: História do Futebol em Portugal

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Juniores : União de Leiria abriu o apetite a leão esfomeado

Campo da Mata, Santa Eufémia
Árbitro: José Laranjeira (Coimbra). 
Auxiliares: Paulo Santos e Paulo Soares. 
Espectadores: 280. 
.
UD Leiria 2
Vitor, Zé Rodrigues, Benny, Miguel Ângelo, Tito, Fred, Rui Rodrigues (Vasco Pontes, 77 min.), Afonso (Simão, 77 min.), Miguel Miguel, Bernardo (Madruga, int.) e Carlos Oliveira. 
Não jogaram: João Pedro, Manique, Figueiredo, Ruben Fernandes.
Treinador: Tiago Vicente.
.
Sporting 4
Guilherme, Braima Candé, Domingos, Liu Yiming (Wilson, 52 min.), Ruben Ribeiro, Palhinha (Marcos Barbeiro, 57 min.), Matheus, Gelson, Mama Baldé (Postiga, int.), Francisco Geraldes e Podence. 
Não jogaram: Pedro Silva, Fábio Martins e Lisandro. 
Treinador: José Lima. 
.
Ao intervalo: 0-3. 
Golos: 0-1 por Matheus (9 min.); 0-2 por Mama Baldé (24 min.); 0-3 por Francisco Geraldes (36 min.); 1-3 por Fred (58 min.); 1-4 por Postiga (70 min.); 2-4 por Simão (90+2 min.).
Acção Disciplinar: Amarelo a Bernardo (35 min.), Liu Yiming (43 min.), Palhinha (47 min.), Benny (50 min.), Wilson (56 min.), Francisco Geraldes (76 min.).
.
A academia da UDL engalanou-se para receber o primeiro classificado do nacional de juniores num jogo importante para as contas dos leirienses no que diz respeito à passagem à segunda fase da competição, mas que acabou com uma vitória relativamente fácil dos leões por 2-4.
Com uma 'casa' completamente lotada, havia muita expectativa para ver até que ponto os leirienses conseguiriam contrariar o natural favoritismo do Sporting, tendo em conta que na primeira volta, a UD Leiria só consentiu a derrota (0-1) já na etapa final da partida. 
Contudo, desta feita, a superioridade dos leões foi patenteada em toda a linha com os leirienses a errarem demasiado, principalmente em termos ofensivos, facto que foi bem aproveitado por um Sporting dinâmico, acutilante e com jogadores de qualidade inquestionável.
O jogo começou com a UD Leiria a querer pressionar os leões, mas rapidamente a formação de José Lima começou a acercar-se com perigo da baliza leiriense com o golo a chegar cedo na transformação de um livre directo de Matheus com a bola ainda a bater na barreira, enganando o desamparado Vítor.
A partir daqui os leirienses pareceram ter baixado os braços, aparecendo um 'leão esfomeado' dentro de campo na procura do golo, tendo chegado aos 0-3 com um futebol objectivo e bem delineado. O segundo golo do Sporting surgiu numa iniciativa individual de Mama Baldé que aproveitou a passividade da defesa da casa para ficar na cara do golo. Perante a saída do guarda-redes, o avançado leonino só teve que desviar com classe para o golo. O terceiro tento do Sporting foi o corolário de uma tarde de desacerto da defesa leiriense com Candé a cobrar um livre ainda no seu meio-campo, conseguindo isolar Francisco Geraldes que só teve que desviar para o golo perante o olhar incrédulo dos centrais leirienses.
Com o resultado praticamente feito, a UD Leiria só conseguiu reagir numa jogada individual de Bernardo, mas o remate saiu ao lado. Na resposta, os leões estiveram perto de aumentar a vantagem numa excelente jogada de combinação com Gelson, isolado, a permitir a defesa de Vítor.
Nos balneários, o técnico Tiago Vicente terá certamente puxado as orelhas aos seus pupilos que surgiram para o segundo tempo com outra atitude, mais dinâmicos, agressivos e concentrados. Esta estratégia trouxe frutos, com a UD Leiria a reduzir a desvantagem na cobrança de uma grande penalidade cobrada por Fred.
Com os adeptos e os jogadores leirienses a ganharem novo ânimo na discussão do resultado, o Sporting rapidamente desfez quaisquer dúvidas quanto ao vencedor. Depois de várias ameaças, o golo (1-4) apareceu numa jogada em que Matheus ultrapassou Tito em velocidade e cruzou para Postiga encostar para o fundo das redes.
A partir daqui o jogo 'partiu' com as oportunidades as surgirem em ambas as balizas: o guarda-redes Vítor evitou que Postiga bisasse quando o avançado se encontrava isolado; e do outro lado, Miguel Miguel tentou o chapéu mas a defesa leonina tirou a bola em cima da linha de golo.
Num último fôlego, os leirienses chegaram ao 2-4 no período de compensação num contra-ataque em que Carlos Oliveira serviu Simão que rematou cruzado para um golo de belo efeito.
Vitória justa e inquestionável do Sporting, enquanto os leirienses só se podem queixar de si próprios, principalmente pelo que (não) fizeram na primeira parte. O árbitro realizou um trabalho positivo em termos técnicos, mas mau ao nível disciplinar. 

Texto e foto: José Roque (Diário de Leiria)