segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Juniores : União de Leiria abriu o apetite a leão esfomeado

Campo da Mata, Santa Eufémia
Árbitro: José Laranjeira (Coimbra). 
Auxiliares: Paulo Santos e Paulo Soares. 
Espectadores: 280. 
.
UD Leiria 2
Vitor, Zé Rodrigues, Benny, Miguel Ângelo, Tito, Fred, Rui Rodrigues (Vasco Pontes, 77 min.), Afonso (Simão, 77 min.), Miguel Miguel, Bernardo (Madruga, int.) e Carlos Oliveira. 
Não jogaram: João Pedro, Manique, Figueiredo, Ruben Fernandes.
Treinador: Tiago Vicente.
.
Sporting 4
Guilherme, Braima Candé, Domingos, Liu Yiming (Wilson, 52 min.), Ruben Ribeiro, Palhinha (Marcos Barbeiro, 57 min.), Matheus, Gelson, Mama Baldé (Postiga, int.), Francisco Geraldes e Podence. 
Não jogaram: Pedro Silva, Fábio Martins e Lisandro. 
Treinador: José Lima. 
.
Ao intervalo: 0-3. 
Golos: 0-1 por Matheus (9 min.); 0-2 por Mama Baldé (24 min.); 0-3 por Francisco Geraldes (36 min.); 1-3 por Fred (58 min.); 1-4 por Postiga (70 min.); 2-4 por Simão (90+2 min.).
Acção Disciplinar: Amarelo a Bernardo (35 min.), Liu Yiming (43 min.), Palhinha (47 min.), Benny (50 min.), Wilson (56 min.), Francisco Geraldes (76 min.).
.
A academia da UDL engalanou-se para receber o primeiro classificado do nacional de juniores num jogo importante para as contas dos leirienses no que diz respeito à passagem à segunda fase da competição, mas que acabou com uma vitória relativamente fácil dos leões por 2-4.
Com uma 'casa' completamente lotada, havia muita expectativa para ver até que ponto os leirienses conseguiriam contrariar o natural favoritismo do Sporting, tendo em conta que na primeira volta, a UD Leiria só consentiu a derrota (0-1) já na etapa final da partida. 
Contudo, desta feita, a superioridade dos leões foi patenteada em toda a linha com os leirienses a errarem demasiado, principalmente em termos ofensivos, facto que foi bem aproveitado por um Sporting dinâmico, acutilante e com jogadores de qualidade inquestionável.
O jogo começou com a UD Leiria a querer pressionar os leões, mas rapidamente a formação de José Lima começou a acercar-se com perigo da baliza leiriense com o golo a chegar cedo na transformação de um livre directo de Matheus com a bola ainda a bater na barreira, enganando o desamparado Vítor.
A partir daqui os leirienses pareceram ter baixado os braços, aparecendo um 'leão esfomeado' dentro de campo na procura do golo, tendo chegado aos 0-3 com um futebol objectivo e bem delineado. O segundo golo do Sporting surgiu numa iniciativa individual de Mama Baldé que aproveitou a passividade da defesa da casa para ficar na cara do golo. Perante a saída do guarda-redes, o avançado leonino só teve que desviar com classe para o golo. O terceiro tento do Sporting foi o corolário de uma tarde de desacerto da defesa leiriense com Candé a cobrar um livre ainda no seu meio-campo, conseguindo isolar Francisco Geraldes que só teve que desviar para o golo perante o olhar incrédulo dos centrais leirienses.
Com o resultado praticamente feito, a UD Leiria só conseguiu reagir numa jogada individual de Bernardo, mas o remate saiu ao lado. Na resposta, os leões estiveram perto de aumentar a vantagem numa excelente jogada de combinação com Gelson, isolado, a permitir a defesa de Vítor.
Nos balneários, o técnico Tiago Vicente terá certamente puxado as orelhas aos seus pupilos que surgiram para o segundo tempo com outra atitude, mais dinâmicos, agressivos e concentrados. Esta estratégia trouxe frutos, com a UD Leiria a reduzir a desvantagem na cobrança de uma grande penalidade cobrada por Fred.
Com os adeptos e os jogadores leirienses a ganharem novo ânimo na discussão do resultado, o Sporting rapidamente desfez quaisquer dúvidas quanto ao vencedor. Depois de várias ameaças, o golo (1-4) apareceu numa jogada em que Matheus ultrapassou Tito em velocidade e cruzou para Postiga encostar para o fundo das redes.
A partir daqui o jogo 'partiu' com as oportunidades as surgirem em ambas as balizas: o guarda-redes Vítor evitou que Postiga bisasse quando o avançado se encontrava isolado; e do outro lado, Miguel Miguel tentou o chapéu mas a defesa leonina tirou a bola em cima da linha de golo.
Num último fôlego, os leirienses chegaram ao 2-4 no período de compensação num contra-ataque em que Carlos Oliveira serviu Simão que rematou cruzado para um golo de belo efeito.
Vitória justa e inquestionável do Sporting, enquanto os leirienses só se podem queixar de si próprios, principalmente pelo que (não) fizeram na primeira parte. O árbitro realizou um trabalho positivo em termos técnicos, mas mau ao nível disciplinar. 

Texto e foto: José Roque (Diário de Leiria) 

Sem comentários:

Enviar um comentário