quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Jogadores brasileiros em busca do sonho em Leiria


Chegam a Portugal com o Brasil na coração e as malas carregadas de esperança em triunfar no mundo do futebol. A conta-gotas, são vários os jogadores brasileiros que vêem as portas do futebol europeu a serem abertas através do nosso País e, nos últimos anos, Leiria tem sido o local de acolhimento de muitos deles que procuram uma projecção que lhes permita fazer uma carreira ao mais alto nível.
Para trás, muitos deles deixam do outro lado do Atlântico a família e os amigos em busca de um sonho que poucos conseguem alcançar. Mas a ambição faz parte do vocabulário quotidiano dos jogadores brasileiros que actuam em Leiria ouvidos pelo Diário de Leiria. Muitos têm como denominador comum um homem: Murilo Maia. Um empresário que viu em Leiria uma segunda casa e que procura, cada vez mais, valorizar os seus 'activos' na região.
Ligado ao futebol desde 1989 como dirigente no São Cristóvão (Brasil) onde 'descobriu', entre outros, o Ronaldo 'Fenómeno' e o Catanha, o empresário de 58 anos quer continuar a postar forte no mercado leiriense, servindo de exemplo os seis atletas que vão representar o Marrazes esta época.
“Sempre fui muito bem recebido em Leiria. Em 2004 trouxe um jogador angolano [Maurito] que foi um sucesso e, desde aí, fiz várias amizades na cidade. Pouco depois trouxe o Carlão que ajudou muito a U. Leiria a subir de divisão. No ano passado trouxe mais jogadores com bastante sucesso, como é o caso do Jeferson e do Geovani, que foi o melhor marcador do campeonato”.
O empresário parece ter descoberto um 'filão' que que continuar a explorar alargando a área de mercado para outros clubes, como é o caso do Marrazes. “Sei que a direcção está muito satisfeita com os jogadores que trouxe e acredito que o clube possa fazer um bom campeonato. Se pudermos concentrar na região os nossos jogadores será mais fácil de operar”, referiu, acrescentando que a aposta no mercado português é importante a nível financeiro já que “Portugal é uma vitrina para a Europa, com a presença de olheiros de vários países”.
Contudo, apostar em jogadores de futebol num mercado estrangeiro acaba por ser como jogar na roleta. Por muita qualidade que um jogador tenha, há sempre que ter em conta com os factores oportunidade e sorte, e Murilo Maia está bem ciente disso. “Tenho outras actividades comerciais no Brasil e relacionamentos com outros empresários que financiam estas apostas. Hoje posso dizer que estou 'empatado': aquilo que fizemos de investimento, recebemos de volta. Agora com mais este investimento nesta temporada, penso que em Janeiro já irão sair dois ou três jogadores para outros clubes. Não podemos deixar a 'máquina' parar e temos que estar sempre à procura do retorno”, admitiu.

 
Chegar ao sucesso para  ajudar a família
 

Fama e dinheiro. Este é o objectivo de muitos jogadores de futebol, mas para Giovani, Jeferson e Luiz Filipe (todos a representar a União de Leiria) o mais importante é conseguir ajudar a família. Para isso, há que contar com o trabalho e uma pontinha de sorte.
“Deixar lá a família foi bem difícil, mas a adaptação em termos de futebol praticado foi fácil. Fui bem recebido, mas o facto de ter aqui outros colegas brasileiros foi muito bom. O meu objectivo é conseguir ir para um clube melhor para ajudar a minha família. A época passada jogámos no distrital, que é um campeonato inferior, mas agora estando no Campeonato Nacional somos mais vistos e isso pode abrir portas”, referiu Jeferson.
Também Luiz Filipe não teve vida fácil ao chegar a Portugal ainda menor de idade, apesar de ter vindo acompanhado pela família. “No início foi difícil a adaptação porque não entendia a língua. Sempre fui apaixonado pela Europa e espero poder triunfar aqui”, sublinhou.
Para o avançado Giovani, a adaptação “foi tranquila”, admitindo que projecta o seu futuro como sendo “excelente”. “Quero estar num clube melhor, ajudar os meus pais no Brasil ou trazê-los para cá. Mas primeiro sei que tenho que fazer a minha parte”, disse o empresário.

Texto e foto: José Roque


Sem comentários:

Enviar um comentário