terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Juvenis : SL Benfica teve que soltar génios para bater UD Leiria



UD Leiria 0
João Pedro, Pê, Pedro Neto, Gabi, Gaio, Bernardo, Rudi, Jordão, Sousa (António (73 min.), Renato (Agostinho, 68 min.), Lucas (Lourenço, 57 min.). 
Não jogaram: Dinis, Ricardo, Raul, Litos.
Treinador: Jorge Raimundo.
.
Benfica 2
Fábio Duarte, Hugo, Rúben, João Escoval, Yuri, Pedro Rodrigues, Diogo (Buta, 74 min.), Fábio Nova (João Silva, 60 min.), António Nunes (Francisco Rodrigues, 68 min.), Gonçalo e Renato Sanches.
Não jogaram: João Moreira, João Coelho, Pedro Amaral, Francisco Ferreira.
Treinador: Renato Paiva.
.
Campo da Mata, Santa Eufémia
Espectadores: 350
Árbitro: Fábio Veríssimo (Leiria).
 Auxiliares: Gracindo Vieira e Pedro Martins.
.
Ao intervalo: 0-0.
Golos: 0-1 por Fábio Nova (46 min.); 0-2 por Diogo (55 min.).
Acção Disciplinar: Jorge Raimundo (treinador) expulso do banco.
.
Depois de vitória categórica diante do Sporting (4-1) na última jornada, a recepção ao Benfica por parte da UD Leiria era encarada pelos adeptos com grande expectativa para se perceber até que ponto os juvenis leirienses conseguiriam bater o pé a outro candidato ao título.
Se a fórmula diante dos ‘leões’ resultou em pleno, frente às ‘águias’ as individualidades dos encarnados fizeram a diferença deitando por terra uma equipa da UD Leiria bem organizada e compacta, mas ‘curta’.
Os primeiros 40 minutos de jogo foram bastante monótonos, com poucas oportunidades de golo, já que os leirienses fechavam todos os caminhos para a sua baliza, enquanto o Benfica, com o seu futebol rendilhado, ia tentando pela esquerda e pela direita mas sem nunca conseguir abrir brechas na muralha defensiva dos homens da casa.
A primeira situação de perigo pertenceu mesmo à UD Leiria (19 min.), na sequência de um lançamento lateral com Lucas a desviar para a baliza, mas Fábio Duarte defendeu bem para canto.
Se o Benfica era dono e senhor do jogo, no que diz respeito à posse de bola e domínio territorial, também é verdade que os encarnados raramente incomodaram João Pedro. A única situação que fez levar algum perigo à baliza da casa saiu dos pés de Renato Sanches num remate de longa distância com o esférico a passar perto do poste.
Foi o pouco que se viu durante toda a primeira parte. No regresso dos balneários, o Benfica surgiu completamente transfigurado, trocando o seu futebol pausado por um estilo muito mais objectivo e assente nas qualidades individuais das suas peças mais preponderantes. 
Logo aos 43 minutos, após um cruzamento na esquerda, António Nunes cabeceou para grande defesa de João Pedro e, na recarga, Hugo voltou a proporcionar uma grande defesa ao guarda-redes da casa.
Depois da primeira ameaça, foi preciso esperar apenas mais três minutos para o Benfica inaugurar o marcador. Renato Sanches ganhou espaço na linha e cruzou para a pequena área onde apareceu Fábio Nova a desviar para a baliza com o peito. 
A desconcentração defensiva da UD Leiria deixou a equipa ‘atordoada’ e volvidos três minutos, a formação de Renato Paiva esteve perto de aumentar a vantagem, novamente na sequência de uma iniciativa individual de Renato Sanches com o guarda-redes João Pedro a evitar o golo a António Nunes.
O jogo acabou por ficar sentenciado ao minuto 55 quando Diogo foi desmarcado em profundidade, entrou na área e rematou cruzado já com ângulo apertado com a bola a bater no poste e a anichar-se no fundo da baliza.
Com o 0-2 no marcador, os leirienses tentaram subir as suas linhas, mas o Benfica controlou sempre as operações nunca dando quaisquer veleidades aos avançados da casa.
Vitória justa do Benfica principalmente pela boa entrada no segundo tempo, perante uma UD Leiria que ficou aquém das expectativas no sentido que raramente incomodou o último reduto dos encarnados, retirando da partida, como aspecto positivo, a consistência defensiva que apresentou durante os primeiros 40 minutos.
Em relação aos destaques individuai, o guarda-redes João Pedro foi dos que mais brilhou por parte dos leirienses, enquanto Renato Sanches, do lado do Benfica, foi o elemento mais preponderante no xadrez encarnado já que praticamente sozinho, conseguiu desmontar a teia montada pela UD Leiria. Trabalho positivo do trio de arbitragem. 

Texto: José Roque (Diário de Leiria)
Foto: Fernando José (Diário de Leiria)

Sem comentários:

Enviar um comentário