quarta-feira, 6 de novembro de 2013

União abriu as portas e deixou entrar a derrota



UD Leiria 1

Maranhão, Juvenal, Luiz Carlos, André Sousa, Ricardo Cardoso, Kata, Tiago Lopes (Pepo, 69 min.), Fábio Coça, Serginho (Leandro, 69 min.), Hélio Vaz e Cédric (Jota, 55 min.).
Não jogaram: João Guerra, Dário, Emiliano Tê, Danny Rafael.
Treinador: Luís Bilro.
Amarelos: Amarelo a André Sousa (29 e 61 min.) e Jota (76 e 86 min.). Vermelho a Sousa e Jota. Golo: Luiz Carlos (77 min.).
.
Alcanenense 2
Vítor Braga, Ito, Wilson, Paz Miguel, Peu, Faia, Zílio (Soma, 83 min.), Marco Grilo (Ismar, 64 min.), Ragner (Filipe, 57 min.), Genilson e Mailson.
Não jogaram: Cléber, Bernardo, Francis, Jamerson.
Treinador: José Torcato.
Amarelos: Ito (43 min.), Wilson (50 min.), Filipe (73 min.), Paz Miguel (76 min.), Faia (81 min.).
Golos: Zílio (63 min., g.p.) e Mailson (74 min.).
.
A UD Leiria somou a primeira derrota (1-2) no campeonato aos pés de um Alcanenense repleto de jogadores brasileiros de boa qualidade, numa partida em que a formação de Luís Bilro acabou com apenas nove elementos devido às expulsões infantis de André Sousa e Jota.
A partida desenrolou-se muito a meio-campo sem que as equipas conseguissem criar reais situações de golo nos primeiros minutos, com o Alcanenense a apostar nas transições rápidas para fazer mossa na defesa da casa, enquanto os leirienses denotavam muitas dificuldades em construir jogadas, já que os passes errados foram demasiados.
Apesar de tudo, a primeira oportunidade foi para a UD Leiria num cruzamento de Serginho com Tiago Lopes, no coração da área, a cabecear para grande defesa de Vítor Braga. Respondeu o irrequieto Mailson com um remate cruzado que levava veneno, mas a bola saiu pouco por cima.
No segundo tempo a toada de jogo manteve-se, com a ‘guerra táctica’ a impedir grandes rasgos até que ao minuto 61 tudo se alterou quando André Sousa derrubou Filipe (ex-jogador da U. Leiria SAD) dentro da área. O central leiriense viu o segundo amarelo e, na conversão do castigo máximo, Zílio não facilitou.
Os leirienses responderam com um remate de Jota que obrigou Vítor Braga a defesa apertada mas, em contra-ataque, o Alcanenense sentenciou a partida com Genilson a servir de bandeja Mailson que só teve que encostar para o 0-2.
Os festejos dos cerca de 20 adeptos que viajaram de Alcanena duraram apenas dois minutos já que num livre de Fábio Coça, o gigante Luiz Carlos cabeceou para o 1-2, dando uma réstia de esperança aos leirienses. Esperança essa que se esfumou com a expulsão de Jota que apenas esteve em campo dez minutos. Antes disso, foi Pepo quem teve nos pés o golo do empate, mas o remate do ‘Iniesta do Lis’ foi ao poste.
Com duas unidades a menos, os leirienses estavam sujeitos ao contra-ataque adversário que poderia ter trazido maiores consequências, mas Maranhão tirou o pão da boca a Mailson. Já no período de descontos, foi novamente Pepo que viu a bola cair-lhe nos pés, mas o médio falhou o remate naquela que seria a última oportunidade do jogo. Vitória do Alcanenense acaba por se aceitar tendo em conta que aproveitou os erros (infantis) dos jogadores leirienses - duas expulsões. A UD Leiria, só em desvantagem numérica e no marcador, é que imprimiu velocidade ao seu jogo e foi castigada por isso mesmo. Má arbitragem do trio de Setúbal quer em termos técnicos, quer em termos disciplinares. Terá ficado uma grande penalidade por assinalar na primeira parte a favor dos leirienses.

 Texto: José Roque (Diário de Leiria)
Foto: Luis Filipe Coito


Sem comentários:

Enviar um comentário