terça-feira, 9 de outubro de 2012

Juniores : Repartição de pontos em jogo emotivo


Campo da Aldeia do Desporto, Marrazes
Assistência: Cerca de 90 espectadores.
Árbitros: Rui Figueiredo, auxiliado por Michael Silva e Pedro Figueiredo.

SCL Marrazes 3: Marcelo; Claudio, Joel (Sonny (55m), Paulo Henriques, Tiago Filipe; João Rodrigues, Hugo Mendes, André Lourenço (Rafael, 67m); Ednilson, Cristiano e Manuel Reis (Luís Alves, 85m).
Suplentes: Diogo e João Oliveira.
Treinador : Rui Bandeira.
.
Beira-Mar 3: Samuel, Xavier (Eulanio, int.), Michael, Manuel Martins, André Rosa; João Ribeiro, Nazmi (Pedro Aparício, 86m), Guilherme; Luís Trabulo, Diogo (Ricardo Tavares, 70m) e Marc Mucha.
Suplentes: Hugo, Gonçalo, Bernardo Subtil e Rui Pereira.
Treinador: António Ramos.
.
Ao intervalo: 3-3.
Golos: 1-0, Ednilson (2 min.); 2-0, Cristiano (20 min.); 2-1, Xavier (26 min.); 2-2, Guilherme (35 min.); 2-3, Guilherme (41 min.); 3-3, Cristiano (43m).
Acção disciplinar: Cartão amarelo a Paulo Henriques (49m), Eulanio (50m) e Joel (54m).
.
Em jogo a contar para a II Divisão Nacional de Juniores, o SCL Marrazes conseguiu ser a única equipa a ‘roubar’ pontos ao até aqui totalmente vitorioso Beira-Mar, numa partida em que a primeira parte foi jogada a um ritmo frenético, com os seis golos a serem apontados nesta etapa inicial.
E se teoricamente o ponto conquistado pelo Marrazes poderia ser visto como algo positivo, fica algum amargo de boca pelo facto de a equipa marrazense ter estado em vantagem por 2-0, e muito perto de conquistar os três pontos.
O jogo não podia ter começado melhor para a equipa da casa. Ednilson aproveitou um ressalto já dentro da área e fuzilou a baliza adversária com a bola ainda a embater no poste e a anichar-se no fundo da baliza (2m). Empolgado com o golo, o Marrazes esteve perto de aumentar, com Cristiano a aparecer em boa posição, mas o remate cruzado foi bem defendido por Samuel (12m). A resposta dos aveirenses surgiu dos pés de Marc Mucha que, num livre directo, rematou de forma violenta com a bola a roçar o poste da baliza de Marcelo (18m).
Quando a equipa do Beira-Mar tentava finalmente ‘pegar’ no jogo, apareceu o melhor homem em campo para aumentar a vantagem da equipa de Rui Bandeira. Cristiano, um autêntico diabo à solta, recebeu a bola à entrada da área e com um excelente pormenor técnico conseguiu ficar isolado na cara do guarda-redes. Com toda a classe do mundo, o avançado fez um chapéu perfeito colocando o resultado em 2-0.
A resposta do Beira-Mar foi feita com eficácia. Na marcação de um livre (26m), Marcelo pareceu ficar surpreendido com a trajectória da bola e Xavier não teve dificuldade em empurrar a bola para o fundo da baliza, no ressalto.
Nesta fase, o Marrazes já parecia acusar o ‘renascimento’ dos aveirenses, mas mais uma vez Cristiano esteve perto de marcar quando apareceu isolado (27m). No entanto, o avançado adiantou demasiado a bola permitindo a defesa do guarda-redes contrário.
Pouco depois foi o Beira-Mar a estar perto do golo, mas Luís Trabulo falhou de forma escandalosa (32m) quando tinha tudo para marcar. Tanto ameaçaram que os aveirenses iriam mesmo dar a volta ao resultado. Primeiro foi Guilherme (35m) a corresponder da melhor forma a um cruzamento vindo da esquerda para encostar para o 2-2. Seis minutos depois, o mesmo jogador, que na última época actuou na União de Leiria, fez o 2-3 num remate colocado à entrada da área.
Quando se pensava que o Beira-Mar não ia desperdiçar a vantagem e o maior ascendente no jogo, eis que de novo surgiu Cristiano a desequilibrar (43m). Desmarcado por Manuel Reis, o avançado voltou a usar a sua excelente técnica individual para tirar os adversários da frente e rematar para um golo de belo efeito.
Terminava assim uma primeira parte de grande nível, com os ataques a superiorizarem-se às defesas o que ficou bem patente nos seis golos apontados. E se os primeiros 45 minutos foram inesquecíveis, a segunda parte foi para esquecer. O Marrazes foi perdendo a capacidade de sair com eficácia para o contra-ataque e o Beira-Mar também sentia dificuldades em materializar o maior domínio com oportunidades de golo.
Só mesmo no período de descontos é que os aveirenses conseguiram criar perigo com Marc Mucha a aparecer em boa posição, mas Marcelo defendeu bem para canto. Com o apito final, ficou nas hostes da casa um sentimento de dever cumprido, já que o Marrazes actuou com muita raça e determinação, surpreendendo o favorito Beira-Mar que só acordou quando se viu em desvantagem.
Nota positiva para o trio de arbitragem não obstante alguns pequenos erros, contudo sem interferência no resultado final.

José Roque - Diário de Leiria

Sem comentários:

Enviar um comentário