quinta-feira, 27 de junho de 2013

SJPF considera «caso de polícia» plano de recuperação da União de Leiria SAD

SJPF considera «caso de polícia» plano de recuperação da União de Leiria SAD

O Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF) considerou «inaceitável» o plano de recuperação da SAD da União de Leiria, que será apresentado na sexta-feira, classificando-o de «um verdadeiro caso de polícia».
Em comunicado, o SJPF nota que, segundo o plano, os jogadores da União de Leiria, que rescindiram contrato com a SAD perto do final da época de 2011/2012 por terem quatro meses de salários em atraso, apenas irão receber «10 por cento do capital reclamado e o perdão do crédito de juros (vencidos e vincendos)».
«Como se isto não fosse bastante», acrescenta o órgão que representa os jogadores, «o pagamento irá ocorrer no prazo de 15 anos», e que, «assim, na melhor das hipóteses, em 2030 os jogadores vão receber 10 por cento da sua dívida».
O sindicato considera o plano a apresentar na sexta-feira «inaceitável», alertando «as autoridades governamentais e desportivas que, neste momento de crise, tenham em consciência e assumam a sua responsabilidade perante as dificuldades que os trabalhadores diariamente enfrentam e que tomem medidas que salvaguardem os direitos de quem diariamente e honradamente desempenhou a sua profissão».
«Caso assim não seja, aí sim, assistiremos a um verdadeiro caso de polícia», nota o SJPF, lembrando declarações do então presidente da SAD da União de Leiria, João Bartolomeu, que então classificou as rescisões no plantel como «um caso de polícia».
Os jogadores que rescindiram contrato com a União de Leiria SAD, defende o SJPF, foram os «principais prejudicados e vilipendiados pelas constantes pressões e humilhações públicas, atletas que viram diretamente prejudicada a sua carreira profissional e vida pessoal».
O plano de recuperação da SAD leiriense dá primazia ao pagamento das dívidas fiscais e à Segurança Social, que serão pagas na totalidade.
Ao todo, a lista de credores ascende a 109 reclamantes o que perfaz um valor em dívida de 16,84 milhões de euros.
O futuro da SAD será decidido pelos credores sexta-feira, no Tribunal de Leiria, em assembleia marcada para as 09h30, onde será discutido e votado o plano de recuperação.
 
Sapo Desporto

2 comentários:

  1. Continua o folhetim. Até quando?

    ResponderEliminar

  2. SAD alega que há créditos falsos a serem reclamados

    “Há créditos que pura e simplesmente são falsos”. A declaração é de uma fonte da SAD da União, que contesta que o total de créditos que é apontada àquela estrutura atinja os 16,8 milhões de euros, como tem sido veiculado. A mesma fonte acrescenta que o montante não está apurado, uma vez que em “60% dos casos” o valor ainda não foi apurado, porque ainda não ocorreram as respectivas audiências em tribunal. Segundo a SAD, o valor real do passivo ronda os sete milhões de euros, total em que inclui as verbas correspondentes a dívidas à Segurança Social e Finanças. Esta posição surge em reacção à notícia publicada na edição de ontem do Diário de Leiria em que apresentámos a lista de credores, na qual se encontram as Finanças (3, milhões de euros), Segurança Social, jogadores, treinadores, árbitros, com 109 reclamantes.

    ResponderEliminar